Benilton afirma que Prefeitura tem como dar reajuste superior a 10%

Cláudia Carvalho

O vereador Benilton Lucena (PT) informou hoje que não houve definição nas negociações dos professores com representantes da Prefeitura, apesar da reunião mantida na tarde de ontem entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município e o prefeito Ricardo Coutinho (PSB). Até agora, a prefeitura só concordou com um dos pontos reivindicados pelos docentes: o estudo para estabelecimento de um plano de carreiras, cargos e remuneração (PCCR).

Outros pleitos, como o reajuste superior aos 10%, a paridade entre ativos e inativos e o estabelecimento de uma carga horária corrida de seis horas foram rejeitadas pelo prefeito.

Apesar de todas as negativas de Ricardo Coutinho, que alega o comprometimento das verbas do Fundeb, o vereador acredita que a Prefeitura tem condições de oferecer mais que os 10%: "A Prefeitura tem como oferecer mais. Em outros municípios foram dados percentuais maiores: em Campina Grande, os vereadores deram 20%; em Bayeux, foi 13%; Santa Rita e Cabedelo ofereceram 20% e mesmo o Governo do Estado chegou a 19,96%. Isso reflete o reajuste do custo aluno, que foi de 19,26% por parte do Fundeb", declarou.

Os professores da rede municipal de ensino têm uma assembleia agendada para acontecer amanhã à tarde. Eles suspenderam a mobilização na última semana atentendo a um pedido do prefeito, que oferecia uma audiência em troca da volta ao trabalho.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.