Bancários fecham HSBC nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, 28 de outubro, os funcionários do HSBC realizam um ato público em frente à Agência central do banco, no centro da capital paraibana (Rua Peregrino de Carvalho), a partir das 9h, e paralisam as atividades por 24 horas em protesto contra as manobras do banco inglês, que reduziu a distribuição da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O protesto continua com o luto dos bancários, que vão usar roupas escuras durante o expediente bancário da sexta-feira, 30, véspera do feriadão de finados.

Assim que a Convenção Coletiva da categoria foi assinada, em 19 de outubro, o HSBC comunicou os valores da participação nos lucros e resultados. Além de dar justificativas frágeis para a queda vertiginosa no benefício, o banco ainda escondeu os reais valores da PLR. 

No primeiro semestre do ano, a instituição reduziu artificialmente seu balanço para 10% do lucro real que obteve. Ou seja, simplesmente classificou todo o volume de dinheiro emprestado nos primeiros seis meses do ano como “crédito duvidoso”. Dessa forma, o lucro do primeiro semestre caiu de R$ 2,1 bilhões para R$ 250 milhões.

De acordo com o Sindicato dos Bancários da Paraíba, comparando os balanços de 2008 e 2009 a manobra é facilmente detectada. No primeiro semestre deste ano o volume de empréstimos subiu 4,59% em relação ao mesmo período do ano passado. Entretanto, as provisões para perdas subiram 87,85%. 

O diretor de comunicação do Sindicato dos Bancários da Paraíba e funcionário do HSBC, Marcelo Alves se disse indignado com a mesquinharia do banco. “Esse provisionamento absurdo perto do crescimento do crédito, afeta todo o balanço do banco, mas não impacta em nada o lucro real, uma vez que o dinheiro fica no caixa da instituição como receita vergonhosa”.

“Na prática, vamos receber menos da metade da PLR do ano passado, enquanto Conrad Engel, presidente do HSBC no Brasil se deu ao luxo de ir comemorar o lucro do banco numa ilha paradisíaca do Caribe, posando de bom moço para a Revista Caras. E isso merece uma resposta à altura”, desabafou. 

Os bancários exigem que o HSBC pague a PLR baseada no lucro de R$ 2,1 bilhões e não no balanço semestral, em que o banco subtraiu 90% dos ganhos. Até porque outros bancos tiveram um lucro no primeiro semestre deste ano menor do que o do mesmo período de 2008, como a Caixa Econômica Federal e a Nossa Caixa. Mas isso não impediu que essas instituições valorizassem seus funcionários, pagando uma PLR maior que a do ano passado.

Os sindicalistas acusam o banco de esconder o lucro para pagar uma PLR muito menor do que deve. O resultado é a paralisação das atividades nesta quarta-feira. Afinal, os bancos abusam e os bancários se defendem com o seu único instrumento de luta: a greve.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.