Assembleia tumultuada resolve suspender greve de professores

A greve dos professores da rede municipal de ensino foi suspensa até a semana que vem. A decisão foi tomada no final da tarde desta quinta-feira, 7, durante uma assembleia dos docentes, realizada no auditório do Lyceu Paraibano, no Centro da capital. A suspensão da greve foi acatada para atender uma exigência do prefeito Ricardo Coutinho (PSB), que exigia a volta dos docentes ás salas de aula para que o diálogo sobre as reivindicações pudesse acontecer. O encontro ainda não está marcado, mas deve ser confirmado na segunda-feira.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de João Pessoa (Sintem), Daniel de Assis, prometeu retomar a greve caso a audiência com o prefeito não se concretize até a quinta-feira, quando a categoria tem nova assembleia agendada.

Os professores municipais deflagram a greve no último dia 28. Eles pedem 20% de reajuste salarial, mas a prefeitura alega só poder oferecer 10%, índice, aliás, já aprovado pela Câmara e depois suspenso pelo prefeito.

Ameaça – O presidente do Sintem contou ter sido ameaçado de agressão durante a assembleia. Segundo ele, um grupo docente ligado ao PSTU e Conlutas queria prolongar a greve e teria partido para a pancadaria durante a assembleia. A briga só não aconteceu porque outro grupo de docentes, de Educação Física, fez um cordão de isolamento livrando Daniel de Assis e outros integrantes da mesa que coordenava o evento da agressão.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.