Aspol solicitará a Ricardo nomeação dos alunos do curso de formação

O presidente da Associação dos Policiais Civis do Estado da Paraíba (Aspol), Flávio Moreira, informou que vai solicitar ao governador eleito d Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), que nomeie todos os alunos do curso de formação assim que terminado o curso e que convoque já em fevereiro os demais concursados para realizar a matrícula no curso de formação.

“O governador Ricardo Coutinho terá como uma das prioridades da área de segurança o recompletamento do efetivo, para que a polícia civil possa desenvolver seu trabalho com plena capacidade. Tanto a nomeação como a nova turma do curso de formação de policiais civis, será um dos primeiros pedidos que faremos no ano de 2011 e não temos dúvidas da boa vontade do governador em atender”, afirmou Flávio Moreira.

Atualmente estão na Academia de Polícia 423 alunos em formação e o final do curso está previsto para março, porém desde que tomou conhecimento do aumento do tempo de curso, a ASPOL discordou, alegando que a necessidade é urgente. “Fizemos o último curso de formação em 3 meses e este foi programado para 5 meses, porém há a necessidade de pessoal e principalmente uma decisão judicial em virtude dos concursados terem enfrentado um verdadeiro calvário durante mais de dois anos. Temos convicção de que o governador (Ricardo), ao contrário do que fez o atual, irá priorizar a contratação dos concursados e inclusive aproveitará os suplentes”, concluiu Flávio.

Outro ponto que foi abordado pelo representante dos policiais civis foi exatamente é onde está o déficit de pessoal. “Fizemos uma análise detalhada, regional por regional e o que mais falta na polícia é escrivão de polícia e agente de investigação. O número de delegados é razoável, já que há mais delegados na ativa do que delegacias, havendo déficit, mas muito pequeno, além de que 80% da execução do serviço policial está concentrado nestes profissionais. Precisamos investir na atividade fim da polícia civil, que é a investigação e por isso chamar os agentes de investigação e os motoristas policiais, que irão para as ruas, além dos escrivães que estão em número muito inferior ao necessário, causando acúmulo de serviço nas delegacias é o que resolverá o problema, pois são estes os responsáveis pela maior parte dos procedimentos de atendimento à população e já passamos estes dados ao governador”.

Sobre a questão financeira, Flávio Moreira afirmou ter “certeza de que assim como foi na prefeitura, o governador Ricardo Coutinho fará uma grande gestão, com um acerto de contas que definitivamente inclui a demissão daqueles que não são efetivos e que não trabalham. Esses são os contratados pra campanha do atual governador e são mais de 16 mil. Com as exonerações, haverá espaço para o que é constitucional e correto: os efetivos concursados. Além disso, estamos diante de um dos maiores gestores que a Paraíba conheceu como prefeito e assim também será como governador”.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.