Após incidente de tapa, papa beija freira que promete não mordê-lo

O papa Francisco, que no mês passado deu um tapa com raiva na mão de uma mulher que o puxou com força, teve uma reação descontraída e mais típica de seu papado nesta quarta-feira, quando uma freira lhe pediu um beijo.

O pontífice concordou, mas só depois de a freira prometer não o morder.

A conversa bem-humorada ocorreu no início da audiência geral semanal de Francisco. Enquanto ele percorria o grande salão onde milhares de pessoas aguardavam, uma freira entusiasmada perguntou se ele a beijaria, gritando em italiano: “Bacio, papa!”.

Francisco respondeu: “Ah, (mas) você morde!”, provocando riso nas pessoas próximas. Depois ele brincou: “Fique calma! Eu lhe darei um beijo, mas fique calma. Não morda!”

A freira prometeu, dizendo “Sim”. Então ele a beijou na bochecha direita, deixando-a ainda mais exultante do que antes. Ela deu pulos e gritou: “Obrigado, papa”.

Na véspera de Ano Novo, Francisco, de 83 anos, deu um tapa irritado na mão de uma mulher que o agarrou e o puxou com força em sua direção na Praça de São Pedro.

O vídeo do incidente viralizou nas redes sociais, e no dia seguinte o pontífice se desculpou, dizendo ter dado um “mau exemplo”.

Ao contrário de alguns de seus antecessores, Francisco normalmente é muito informal com as pessoas que o prestigiam em tais eventos não religiosos, parando para beijar bebês e abençoar os deficientes e permitindo que centenas de pessoas toquem sua mão.

Mas ele não gosta de permitir que as pessoas beijem sua mão em grandes eventos, dizendo que não quer que o gesto de reverência espalhe germes.

O incidente do tapa de dezembro foi uma exceção. Ele foi semelhante a outro ocorrido vários anos atrás, quando o papa repreendeu uma mulher empolgada demais que o puxou tão forte que ele quase caiu sobre uma pessoa em uma cadeira de rodas.

 

Terra

Comentários