Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Apesar de aprovação de PEC, Famup diz que pagamento do piso da Enfermagem é incerto

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) definiu hoje que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 390/14) aprovada pela Câmara dos Deputados – que direciona recursos do superávit financeiro de fundos públicos e do Fundo Social para financiar o piso salarial nacional da enfermagem no setor público, nas entidades filantrópicas e de prestadores de serviços – não deixa claro de quanto será a complementação financeira da União para estados e municípios. Devido às incertezas, a Famup defende que o Congresso Nacional aprove a PEC 25/22.

A proposta, uma construção do movimento municipalista, define como prioritário estabelecer adicional 1,5% no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), a ser entregue no mês de março de cada ano, como forma de mitigar a crescente pressão fiscal enfrentada pelos municípios do Brasil, em especial o Piso Nacional da Enfermagem. O FPM é mecanismo que cuida a totalidade dos entes locais, inclusive atendendo uma perspectiva redistributiva visando a superação das desigualdades regionais e locais, previsíveis num país continental como o Brasil e em processo de desenvolvimento.

O presidente da Famup, George Coelho, explicou que a partir da Constituição de 1988, com a elevação do município a Ente federado e autônomo, ocorreu uma grande descentralização de políticas públicas e de serviços que antes eram prestados pela União e Estados. No caminho inverso, a partir desta mudança constitucional, a União passou a concentrar cada vez maior parcela da arrecadação tributária ao criar novas fontes de arrecadação não compartilhadas com as demais esferas.

“O piso da enfermagem, aprovado em 2022, vai gerar despesa de R$ 10,5 bilhões por ano para os municípios. Sendo assim, a PEC é urgente para mitigar os efeitos do novo Piso da Enfermagem, sendo que a expectativa de transferência para os municípios em consequência da PEC é de R$ 4,5 bilhões no ano seguinte à promulgação e R$ 9 bilhões nos anos posteriores. Diante disso, os municípios necessitam de uma complementação e a PEC 25/22 garante essa segurança”, destacou George Coelho.

Para George, o cenário ainda é muito incerto quanto ao pagamento do piso nacional da enfermagem. “Infelizmente os municípios não têm como arcar com essa conta, apesar de acharmos o aumento mais que justo para esses profissionais tão importantes e fundamentais na garantia de uma saúde pública de qualidade. Continuaremos lutando para que o Congresso e o Governo Federal se sensibilizem para que possamos garantir esse novo piso”, disse.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Arthur Urso leva “esposas” para passear sem roupa íntima na orla de João Pessoa

Professores da UFPB desistem de candidatura e apoiam Terezinha e Mônica

Anteriores

disney1 (1)

Disney abre vagas sem experiência com remuneração de R$ 83/hora e parque gratuito

UFPBemdia15.12.2022FotoAnglicaGouveia5de23-800x500 (1)

Superintendente do HULW, Marcelo Tissiani divulga apoio à reeleição de Valdiney Gouveia

Polícia Civil e Militar

Ex-suplente de vereador é assassinado na zona rural de Matinhas

agentesemob (1)

Maratona de João Pessoa altera trânsito em vários pontos na manhã deste domingo

enterrotiopaulo (1)

Após dois dias no IML, “Tio Paulo” é enterrado sob forte comoção de parentes

mercadodefagundes

Teto do Mercado de Lucena desaba depois das chuvas deste sábado

terezinhaemonica (1)

DCE declara apoio à candidatura de Terezinha e Mônica para eleições na UFPB

prefeito-edmilson-rodrigues-belem-filho

Filho do prefeito de Belém do Pará morre aos 16 anos

Homem é preso na PB ao receber 20kg de maconha, do Paraná, em caixas de chá

Homem é preso na PB ao receber 20kg de maconha, do Paraná, em caixas de chá

Polícia da PB prende, no Pará, dupla que furtou 50 celulares de shopping em Campina Grande

Polícia da PB prende, no Pará, dupla que furtou 50 celulares de shopping em Campina Grande