Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Anvisa concede registro definitivo para a vacina da Pfizer

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

 

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu hoje (23) o registro definitivo à vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNtech. A concessão do registro foi anunciada pelo diretor-presidente da agência reguladora, Antônio Barra Torres, que destacou que a análise para a liberação do imunizante levou 17 dias.

“O imunizante do Laboratório Pfizer/Biontech teve sua segurança, qualidade e eficácia aferidas e atestadas pela equipe técnica de servidores da Anvisa, que prossegue no seu trabalho de proteger a saúde do cidadão brasileiro”, disse Barra Torres ao anunciar o registro. “Esperamos que outras vacinas estejam, em breve, sendo avaliadas e aprovadas”, acrescentou.

A vacina é a primeira a obter o registro definitivo no Brasil. O imunizante se chama Cominarty. A empresa entrou no dia 6 de fevereiro com o pedido de registro definitivo da vacina contra a covid-19. O imunizante, entretanto, ainda não está disponível no país.

Em dezembro, a Pfizer já havia anunciado que não faria pedido para uso emergencial da sua vacina no Brasil, e que seguiria o processo de submissão diretamente para um registro definitivo. À época, a empresa disse considerar o procedimento “mais célere”, além de mais amplo.

Segundo a Pfizer, 2,9 mil voluntários participaram dos testes clínicos de sua vacina no Brasil. No mundo todo, foram 44 mil participantes em 150 centros de seis países, incluindo África do Sul, Alemanha, Argentina, Estados Unidos e Turquia. Os resultados da terceira e última fase de testes do imunizante, divulgados em novembro, apontaram eficácia de 95% contra o novo coronavírus (covid-19).

De acordo com a Anvisa, o registro “abre caminho para a introdução no mercado de uma vacina com todas as salvaguardas, controles e obrigações resultantes dessa concessão”. Até então, as vacinas aprovadas no Brasil são para uso emergencial: a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e a vacina produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório inglês AstraZeneca.

De acordo com a Anvisa, entre as autoridades referendadas pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a agência reguladora brasileira é a primeira a conceder o registro de uma vacina contra a covid-19.

O pedido de registro definitivo é o segundo que a Anvisa recebe para uma vacina contra a covid-19. O primeiro foi feito em 29 de janeiro e é relativo à vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, que já tem autorização para uso emergencial no país.

 

Agência Brasil

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

WhatsApp-Image-2022-06-02-at-16.54.09-768x450

Comissão pune presidente do Conselho de Medicina na Paraíba e suspende campanha por 18 dias

bmb2024

Brasil Mostra Brasil termina neste domingo com promoções nos estandes

1720910506669302aa581b2_1720910506_3x2_lg

Atirador e participante de comício morrem durante atentado a Donald Trump nos EUA

trumptiro

Trump é retirado às pressas de comício depois de ser atingido na orelha; veja

Eliane

São João de Galante tem shows de Eliane e Banda Encantus neste sábado

Dupla é presa suspeita de assaltar bombeiro de Pernambuco na orla de João Pessoa

Dupla é presa suspeita de assaltar bombeiro de Pernambuco na orla de João Pessoa

joao azevedo, unidades habitacionais, joao pessoa

João Azevêdo entrega moradias com amplas áreas de lazer e infraestrutura a 320 famílias de João Pessoa

mulher hospital FOTO Pixabay

Menina tem aborto legal negado pela Justiça em Goiás e magistradas são acionadas no CNJ

mega sena FOTO agencia brasil

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões

onibus FOTO Pixabay

Menino morre atropelado por ônibus escolar em Itabaiana