Anísio diz que senadores aproveitam a pandemia para “vender nossa água”

O deputado estadual Anísio Maia (PT), que também é pré-candidato a prefeito de João Pessoa, disse ter ficado revoltado com a aprovação do PL 4162/19, que trata do novo marco do Saneamento Básico (Privatização das Águas). Ele criticou os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, que para o deputado estão afinados com o projeto de Bolsonaro de implantar no Brasil um sistema onde o domínio do capitalismo chegue em todo lugar. “Na hora de aprovar propostas boas para o empresariado, Maia e Alcolumbre esquecem tudo e votam sempre juntos como se fossem carne e unha. Continuam afinados com Bolsonaro, são sócios do projeto!”, alfinetou Anísio.

No entendimento do parlamentar, os congressistas e o Governo Bolsonaro já “venderam” muitos direitos e patrimônios importantes para os brasileiros, usando argumentos ilusórios.

“Eles dizem que a privatização vai permitir água e saneamento a todo país. Uma mentira! A água se tornará mais cara, sabemos, quem vai poder pagar? Já venderam direitos trabalhistas, quase todas estatais, venderam até nossas aposentadorias e, agora, vendem nossa água, um bem que é patrimônio humano. Com a privatização da água só temos certeza de uma coisa: logo o povo vai pagar caro para consumir este bem tão precioso.”, enfatizou Anísio.

Segundo o deputado, outras ilusões parecidas já foram “vendidas” quando aprovaram a Reforma Trabalhista. “Na época juraram que iria permitir a criação de milhões de empregos. Até hoje o povo espera”, disse ele.

Para concluir, Anísio Maia afirmou que os presidentes da Câmara e do Senado “aturam” Bolsonaro por pensarem parecidos, por quererem vender o País aos grandes conglomerados. “Os grupos econômicos agradecerão tanta benevolência do Senado. É por isso que Alcolumbre e Maia aturam Bolsonaro. Eles têm os mesmos planos de vender o País aos grandes conglomerados. O patriotismo deles acaba quando inicia o lucro dos grandes conglomerados”, completou Anísio.

Comentários