Aníbal cobra definição de novo líder da oposição na Assembleia

O deputado estadual Aníbal Marcolino (PSL) cobrou hoje a definição de um nome para a liderança da Oposição na Assembleia Legislativa. É que o bloco adversário do Governo está sem comando desde o início da legislatura. Antes, quem fazia este papel era o deputado Gervásio Filho (PMDB). Agora, Aníbal diz que seu nome está disponível para a função e reitera que a bancada precisa de um "maestro":

– De forma oficial, só existe a liderança da situação. A liderança da oposição não existe ainda. O líder tem um tempo regimental e pode usar 5 minutos sempre que quiser. Para o líder de oposição, não tem isso, porque ele ainda não foi definido. Não apenas o meu nome está colocado, mas o de Gervásio Filho e o de Raniery Paulino. Já nos reunimos duas vezes, mesmo sem ter líder, mas quando se tem um líder, ele faz o papel de maestro no plenário e eu acho importante que ele seja escolhido.

Aníbal também comentou o pedido de CPI feito pelos governistas para apurar os critérios de distribuição de gratificações no Governo Maranhão III. Ele disse que concorda com a instalação desde que ela abranja também os primeiros meses de Ricardo Coutinho (PSB):

– Dizem que quem já morreu, recebeu salários; pessoas fora do Estado também recebiam. Queremos saber também quais os critérios de demissão de servidores e também de admissão. Há pessoas que foram dispensadas, mas outras foram chamadas para a mesma função. Isso tem que ser esclarecido, afora também o nepotismo cruzado. A CPI de situação quer apenas investigar o Governo de Maranhão. Nós queremos estender desde 2007 até fevereiro de 2011.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.