Agentes penitenciários aprovados cobram convocação e revelam ameaças

Uma comissão formada por candidatos aprovados e classificados no concurso para agentes penitenciários do Governo do Estado compareceu hoje de manhã à Câmara Municipal para reclamar na demora para que sejam anunciadas as contratações para que possam assumir os cargos. Os manifestantes não quiseram se identificar porque disseram estar sendo ameaçados de morte.

Uma das integrantes da comissão procurou o Parlamentopb para denunciar o fato. Ela disse que, apesar da demora na convocação dos concursados, cerca de 200 prestadores de serviço foram chamados para substitui-los: "Desde fevereiro que o Estado nomeia agente sem concurso público. É um pessoal que não tem qualificação, não fez treinamento, não pode usar arma e, de forma descarada, estamos vendo o concurso ser deixado de lado. É uma irregularidade porque o sistema penitenciário está inserido na Segurança Pública. O Governo não pode mais chamar prestadores de serviço quando há concursados esperando para assumir suas funções", disse ela.

O vereador Bruno Farias (PPS) defendeu a queixa dos concursados e acrescentou que, no governo de Cássio Cunha Lima (PSDB) foram construídos seis presídios de segurança máxima e que não foram inaugurados por falta de agentes penitenciários.

Sobre as ameaças, a candidata declarou: "Desde que nossa mobilização começou, já recebemos várias ameaças de morte. Não sabemos de onde vêm, mas achamos que são de quem não passou no concurso e receia que pode sair do cargo. Não queremos bater de frente com ninguém, mas defendemos nossa convocação porque fizemos concurso", concluiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.