Agentes de limpeza urbana anunciam greve e João Pessoa pode ficar sem coleta de lixo

 

Agentes de limpeza urbana vão cruzar os braços a partir desta segunda-feira (12) na capital paraibana e só vão retomar os trabalhos depois que a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) se posicionar sobre a situação dos trabalhadores da empresa LimpMax, que estão com os salários atrasados.

Apesar de ser apenas uma empresa que está com o salário atrasado, todos os funcionários que trabalham na limpeza urbana vão parar em solidariedade aos que estão prejudicados.

A informação foi dada hoje pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Urbana da paraíba-SINDILIMP, Radamés Cândido. Ele disse na BandNews que a categoria só vai voltar ao trabalho depois que a Emlur disser se os trabalhadores fazem parte ou não da limpeza urbana, porque estão com os salários atrasados.

Protesto
Agentes de limpeza da empresa LimpMax, que ainda não receberam salários neste mês de abril, realizam, neste momento, um ato em frente ao Centro Administrativo Municipal, após assembleia na porta da empresa mais cedo.

Os trabalhadores cobram o pagamento dos salários e uma posição da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) diante do cenário de total incerteza para a categoria.

Em Campina Grande, os agentes também paralisaram as atividades na mesma empresa por atraso no pagamento do vale-alimentação.

Rescisão do contrato com a empresa

Foi publicado no Semanário Municipal de João Pessoa do último dia 30 o extrato de rescisão unilateral do contrato da Emlur com as empresas prestadoras do serviço de coleta do lixo urbano na capital paraibana, entre elas a LimpMax Construções e Serviços Ltda.

De acordo com o superintendente da Emlur, Ricardo Veloso, a decisão de rescindir o contrato se baseou na inexecução dos serviços contratados.

VEJA TAMBÉM

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.