Dom Manoel Delson

Dom Manoel Delson cursou Filosofia e Teologia em Nova Veneza (SP) e no Instituto de Teologia da Universidade Católica de Salvador (BA). É licenciado em Letras e tem Mestrado em Ciência da Comunicação Social, em Roma, na Pontifícia Universidade Salesiana. É Arcebispo da Paraíba.


A Quaresma e a Campanha da Fraternidade

A Campanha da Fraternidade foi oficializada em todo o Brasil na última quarta-feira de cinzas, e tem como tema Fraternidade e Políticas Públicas. Tal Campanha tem se apresentado como uma proposta concreta de conversão social, principalmente, ao longo do tempo quaresmal. Nesta Campanha, a Igreja do Brasil se propõe à chamada de atenção dos fieis cristãos para a ocupação do tema das políticas públicas, ações e programas desenvolvidos pelo Estado, com o fim de garantir e colocar em prática a segurança dos direitos, previstos na Constituição Federal. O Evangelho de Jesus sempre nos colocará diante da exigência da conversão social; o bem comum que nos toca provoca o estímulo na participação da transformação da sociedade. Como nos diz o Papa Francisco, “os cristãos devem buscar uma participação mais ativa na sociedade como forma concreta de amor ao próximo, que permita a construção de uma cultura fraterna baseada no direito e na justiça”.

Os bispos do Brasil confiam veementemente, e comunicam essa confiança aos seus fieis, que, na quaresma podemos fazer uma necessária caminhada de revisão social. Podemos ampliar nossa evangelização para todos os ambientes sociais, provocando uma renovação interior e exterior dos homens e mulheres da Terra de Santa Cruz. O tempo quaresmal ensina-nos que, as práticas penitenciais são um caminho de retorno para Deus, o homem e a sua sociedade precisam voltar à amizade com o Criador. O horizonte das políticas públicas é o reflexo da mudança interior que o Senhor quer realizar nesta preparação para a Páscoa de Jesus. Sabemos que essa preparação nos levará a vitória de Deus sobre o pecado e o mal. O diabo nunca venceu! Ele não tem a palavra final sobre o progresso humano, e para o povo brasileiro, essa vitória não é uma ideia distante, mas uma convicção de fé. Que este tempo de purificação nos propicie uma real conversão de mentalidade, que sejamos embaixadores de Cristo (2Cor 5,20), isto é, mensageiros da reconciliação de Deus dentro do tecido social que nos envolve. E mais, que os nossos olhos e coração estejam vigilantemente atentos às necessidades dos mais pobres, daqueles que também são a urgente “carne de Cristo” em nosso meio! E com o Papa Francisco que, na ocasião de sua Mensagem aos fieis brasileiros na abertura da Campanha da Fraternidade, desejemos concretamente que a força transformadora da Ressurreição nos alcance e torne o Brasil um perene lugar de justiça e de fraternidade.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.