Ricardo Coutinho recebe apoio da Juventude de 10 partidos políticos

A juventude de 10 partidos políticos e de movimentos sociais se reuniu ontem à noite para declarar apoio a pré-candidatura de Ricardo Coutinho ao Governo do Estado e de Cássio Cunha Lima (PSDB) e Efraim Morais (DEM) ao Senado. Cerca de 500 jovens se reuniram na sede da Federação dos Trabalhadores em Agricultura (Fetag) e criaram o Bloco Oposicionista da Juventude Partidária.

O Bloco é formado pelas juventudes dos partidos PSB, PPS, PV, PP, PSDB, PTN, PRP e também por militantes e lideranças das alas jovens do PTB, PDT e PT. Também estiveram presentes integrantes de movimentos culturais, do movimento religioso e do movimento estudantil.

 O grupo pretende realizar uma série de encontros para discussão de temas de interesse social. O primeiro deles foi Segurança Pública, na noite da segunda-feira.

Plano de Segurança – Ricardo Coutinho defendeu mais investimentos na capacitação dos policiais e a elaboração de um Plano Estadual de Segurança Pública, que contemple a implantação de uma série de políticas capazes de atuar no controle e no combate à violência.

No entanto, para o socialista, não se combate a violência apenas com repressão. “A melhor maneira de combater a violência é garantir acesso à educação. É proporcionar, como fizemos aqui em João Pessoa, que os filhos do povo tenham acesso à inclusão digital. É garantir que a juventude tenha acesso à cultura”, destacou.

Ricardo também defendeu a criação de clínicas para dependentes químicos nas macrorregiões do Estado, como forma de combater o envolvimento dos jovens com as drogas e com a violência urbana.

Qualificação – O pré-candidato ao Senado e ex-governador, Cássio Cunha Lima, falou sobre a importância de aumentar o número de policiais no Estado, além de qualificar os profissionais para atuarem no combate ao crime. Ele lembrou que durante sua administração realizou concurso público para a contratação de policiais militares e civils, além de extinguir os delegados com cargo comissionados.

“A Paraíba era um dos últimos Estados do País com esse tipo de relação trabalhista. Acabamos com isso e, desde então, todos os delegados da Paraíba são servidores concursados”, afirmou.

Cássio lembrou que quando iniciou sua gestão a Paraíba contava com 7 mil policiais e ele conseguiu elevar para 11 mil o número de profissionais atuando na área. “Ano, após ano estavámos aumentando o número do efetivo politicial no nosso Estado. Nossa meta era chegar a 14 mil, número indicado pela Nações Unidas para um Estado com a densidade populacional da Paraíba”, declarou.    

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.