PSOL suspende Cultura, mas quer rigor na apuração do caso de Nino

Como o Parlamentopb antecipou ontem à tarde, a executiva estadual do PSOL decidiu suspender o pré-candidato a prefeito de Bayeux, Tony Cultura, preso na tarde de quarta-feira junto com um colega do Conselho Tutelar local, Jarbas Coelho, sob acusação de extorsão ao vereador Nino do PT. A cobrança de R$ 6 mil foi averiguada pela Polícia Militar, gerou a prisão de ambos em flagrante e teria sido feita para que não fosse apurada a denúncia de que Nino mantém um relacionamento com uma adolescente de 15 anos, com o consentimento da família da moça.

Como providências no caso de Tony Cultura, o partido decidiu instituir uma comissão de ética e suspender os direitos partidários do conselheiro tutelar até que os fatos sejam esclarecidos.

Por outro lado, o PSOL considera que há um tratamento desigual em relação ao filiado em comparação com o vereador Nino do PT:

"Entendemos como equivocada a maneira desigual como foram tratadas as acusações de extorsão e pedofilia em relação ao vereador Nino do PT e ao Conselheiro Tutelar Tony Cultura. As acusações de pedofilia que envolvem o vereador Nino do PT devem ser encaminhadas por instancias como Conselho Tutelar ao Ministério Público da Paraíba, cabendo a este os devidos encaminhamentos legais", diz um trecho da nota, que pode ser conferida na íntegra abaixo.

NOTA PÚBLICA DO PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE (PSOL-PB)

A Executiva do PSOL vem, por meio desta nota, posicionar-se sobre os acontecimentos ocorridos no dia 04 de janeiro do ano em curso envolvendo o Tony Cultura, Conselheiro Tutelar e presidente do PSOL de Bayeux,  e o Vereador Nino do PT.
O PSOL não pactua com qualquer ato de extorsão ou ataque aos direitos humanos de crianças e adolescentes. Nacionalmente, o partido é referência na defesa dos direitos humanos e entende o Conselho Tutelar como uma das grandes conquistas da democracia brasileira.
No intuito de averiguar o suposto envolvimento do militante em uma ação de extorsão, o PSOL da Paraíba optou por: instituir uma comissão de ética composta por três membros a ser definida na próxima reunião do Diretório Estadual; e SUSPENDER o filiado Tony Cultura dos seus direitos partidários até que os fatos sejam esclarecidos, possibilitando-lhe todo o direito de defesa, direito este que deve ser garantido durante todo processo de investigação policial e ações judiciais.
Entendemos como equivocada a maneira desigual como foram tratadas as acusações de extorsão e pedofilia em relação ao vereador Nino do PT e ao Conselheiro Tutelar Tony Cultura. As acusações de pedofilia que envolve o vereador Nino do PT devem ser encaminhadas por instancias como Conselho Tutelar ao Ministério Público da Paraíba, cabendo a este os devidos encaminhamentos legais.
O PSOL reitera sua luta junto a população de Bayeux, mantendo-se organizado neste município em defesa dos seus direitos e da ética na política.
 
João Pessoa, 05 de janeiro de 2012-01-05
 
EXECUTIVA ESTADUAL DO PSOL PARAÍBA

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.