Pleno do TJ aprova “voto de aplausos” para Dom Aldo

Em sessão administrativa, realizada na manhã desta quarta-feira (14), o Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba prestou homenagem ao dia do Ministério Público. A proposta foi apresentada pelo desembargador José Di Lorenzo Serpa, que é oriundo daquela instituição, ao lado do desembargador Fred Coutinho, na composição da Corte de Justiça. Ele enfatizou a importância da presença do “parquet”, nas atividades do Poder Judiciário, colaborando na aplicação do direito e, acima de tudo, da Justiça.

O desembargador Serpa destacou as responsabilidades do Ministério Público, a partir da Constituição de 1988, quando assumiu novas funções em defesa da cidadania. “Quero manifestar nessa oportunidade, a passagem desta data, nossa admiração pelo trabalho exercido pelo Ministério Público, sempre em defesa da lei e da cidadania, fortalecendo o exercício da democracia”, frisou ele.

O presidente da Corte, desembargador Abraham Lincoln, ao acostar-se à propositura, destacou a performance do MP, com o advento da nova Constituição e lembrou o trabalho que vem sendo realizado pelo atual procurador geral, Osvaldo Trigueiro do Vale Filho, que elevou o MP da Paraíba a destaque no cenário nacional. “Tem adotado medidas para fortalecer a atuação do Ministério Público em nosso Estado”, disse.

O presidente da Associação dos Magistrados, juiz Antônio Silveira Neto, destacou a atuação do MP em defesa da democracia e a procuradora Monica Figueiredo fêz referências à data, em nome da OAB. O desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque lembrou o início de sua carreira como promotor de Justiça. Na oportunidade, o procurador José Rozendo Neto, integrante do Ministério Público no plenário da Corte, agradeceu as homenagens do TJ.

DOM ALDO PAGOTTO – O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Di Cillo Pagotto, também foi homenageado, na manhã desta quarta-feira (14), pelo Pleno do Tribunal de Justiça, que aprovou, por unanimidade, “voto de aplausos”, proposto pelo desembargador José Ricardo Porto. O magistrado ressaltou o trabalho, recentemente lançado pelo religioso, sob o título “O Evangelho dos nossos dias”, obra prefaciada pelo pastor Estevan Fernandes.

Segundo o autor da propositura, a obra elaborada pelo arcebispo da Paraíba reúne vários artigos publicados pelo autor em diferentes jornais locais, oportunidade em que retrata o cotidiano e sua vida como sacerdote. O desembargador destaca a preocupação do religioso com os problemas sociais, sempre buscando o desenvolvimento humano.

Na ocasião, magistrado também manifestou congratulações ao arcebispo emérito da Paraíba, Dom José Maria Pires, que no próximo dia 20 completa 70 anos de ordenação sacerdotal, ato dignificante na carreira daquele religioso. José Ricardo destacou a paraibanidade do ex-líder da Igreja Católica em nosso Estado e observou que, apesar de ser natural de Minas Gerais, ele tem laços fortes com a Paraíba.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.