Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Marielle foi morta por milicianos por causa de terras, diz secretário

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O secretário de Segurança Pública do Rio, Richard Nunes, afirmou, em entrevista ao jornal “Estado de S.Paulo”, que a vereadora Marielle Franco foi morta por milicianos que viam nela uma ameaça a negócios de grilagem de terras na Zona Oeste do Rio.

“Era um crime que já estava sendo planejado desde o final de 2017, antes da intervenção”, disse Nunes ao “Estadão”.

“Ela estava lidando em determinada área do Rio controlada por milicianos, onde interesses econômicos de toda ordem são colocados em jogo”, prosseguiu. “O que leva ao assassinato da vereadora e do motorista é essa percepção de que ela colocaria em risco naquelas áreas os interesses desses grupos criminosos”, emendou.

“A milícia atua muito em cima da posse de terra e assim faz a exploração de todos os recursos. E há no Rio, na área oeste, na baixada de Jacarepaguá, problemas graves de loteamento, de ocupação de terras. Essas áreas são complicadas”, continuou Nunes.

Ainda segundo o secretário, Marielle vinha conscientizando moradores sobre a posse da terra. “Isso causou instabilidade e é por aí que nós estamos caminhando. Mais do que isso eu não posso dizer”, afirmou.

DH fez operação na quinta, mas ninguém foi preso
Nesta sexta (14), faz nove meses que a vereadora e o motorista Anderson Gomes foram executados no Rio. Na quinta (13), a Delegacia de Homicídios fez uma operação em dois estados para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão relacionados aos crimes, mas ninguém foi preso na ação.

A operação foi realizada para prender milicianos – alguns suspeitos de envolvimento no crime, que ocorreu no dia 14 de março.

Os policiais estiveram em 15 endereços, inclusive fora do estado, como em Juiz de Fora, em Minas. No RJ, equipes estão na Zona Oeste do Rio; em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense; em Petrópolis, na Região Serrana; e em Angra dos Reis, na Costa Verde.

Em Angra, os agentes ficaram encurralados por traficantes na comunidade do Frade, e precisaram da ajuda de policiais militares e de um helicóptero.

Durante as buscas em Juiz de Fora, mais problemas. Como os policiais estavam em carros descaracterizados, PMs pararam a equipe para checar quem eram os homens armados estavam circulando pela cidade.

Os mandados fazem parte de um inquérito à parte, mas, de acordo com o delegado Giniton Lages, que está à frente das investigações, todos têm ligação com os assassinatos. As mortes completam nove meses nesta sexta-feira (14).

G1

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Dupla é presa em flagrante ao tentar assaltar posto de combustíveis em Bayeux

caminhao tombamento catingueira

Caminhão sai da pista e tomba na BR-361, no Sertão da Paraíba

plastic premium

Cirurgias reparadoras pós-bariátrica: para quem são indicadas e quais as mais comuns

Chuva-e-transito-Epitacio-Pessoa_120613NalvaFigueiredo-02-scaled

Inmet emite alerta de acumulado de chuvas para João Pessoa e outros 24 municípios paraibanos

padre-egidio

Audiência de instrução do caso Padre Zé é adiada mais uma vez

12-07-2024-contrato-canva1

MPPB ajuíza ação de improbidade contra ex-prefeito, seu filho e três servidores públicos

WhatsApp Image 2024-07-12 at 12.25.35

Mônica Sousa, a inspiração da Turma da Mônica, estreia no Imagineland 2024 em João Pessoa no dia 28

Os Três Porquinhos (2)

Arretado Produções lança Projeto “Aqui e Ali tem Teatro” em parceria com o Colégio Interactivo

shutterstock_388657213

Em um ano, MPPB atuou em 7,8 mil processos para proteger crianças e adolescentes

Brasil-Paraiba-Joao-Pessoa-Praia-de-Tambau-2

Praias da Grande João Pessoa estão próprias para banho durante fim de semana