Mãe foi contratada após exoneração de neto de Sarney

A mãe de um dos netos do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi contratada para o lugar do filho no gabinete do senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA), segundo reportagem publicada ontem no jornal "O Estado de S. Paulo".

Rosângela Terezinha Gonçalves foi contratada depois que seu filho, João Fernando Sarney, foi exonerado. O pai de João é Fernando Sarney, filho do presidente do Senado.

Segundo a reportagem, a exoneração ocorreu por meio de um ato secreto, para que não fosse revelado que um parente não concursado de Sarney trabalhava na Casa quando o Congresso se via obrigado a cumprir a súmula antinepotismo do Supremo Tribunal Federal.

Apesar de contar com Rosângela em seu gabinete, Cafeteira não deu detalhes sobre a função exercida por ela. "Não existe tipo de trabalho, no gabinete todos trabalham", afirmou.

Atos secretos também foram usados pelo Senado, segundo informações do jornal, para permitir que todos os servidores efetivos de gabinetes de senadores pudessem fazer hora extra, acabando com os limites estabelecidos anteriormente.

Em março, a Folha revelou que o Senado pagou pelo menos R$ 6,2 milhões em horas extras para 3.883 funcionários em janeiro, mês em que a Casa estava em recesso e que não houve sessões, reuniões ou atividade parlamentar.

A autorização do pagamento foi feita pelo senador Efraim Morais (DEM-PB) três dias antes de ele deixar o comando da Primeira Secretaria.

Outro ato secreto, segundo o jornal, estendeu ao secretário-geral e ao diretor-geral da Casa, cargo ocupado na época por Agaciel Maia, a assistência médica vitalícia oferecida a senadores e ex-senadores. O ato foi assinado pelo então presidente da Casa, Antônio Carlos Magalhães (DEM-BA), em 2000.

 

Folha de S. Paulo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.