Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

João Azevêdo entrega 1º museu de João Pessoa e autoriza outro, para História da Paraíba

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O governador João Azevêdo entregou, nesta quinta-feira (4), o Museu da Cidade de João Pessoa (MCJP), localizado na Praça da Independência. O espaço onde residiu o então presidente da Paraíba, João Pessoa, recebeu investimentos de R$ 1,3 milhão em obras de restauração. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual também assinou o decreto de criação do Museu da História da Paraíba, no Palácio da Redenção, onde atualmente funciona a sede do Governo do Estado.

O museu contará a história da cidade por meio de exposições fotográficas, livros, vídeos, lembranças de personagens públicos e anônimos, figuras pitorescas, artistas, experiências sensoriais e, também, a clássica visitação a peças. O local estará aberto ao público, de terça-feira a domingo, das 9h às 17h, e a entrada será gratuita.

A solenidade de inauguração foi marcada pela exposição da história do então presidente paraibano João Pessoa, na sala onde estão móveis pertencentes à família do político, incluindo o bureau de trabalho dele e a mesa onde foi morto no Café Glória, em Recife.

Também foram disponibilizadas exposições de pinturas com obras de Amelinha Theorga e Emílio Pinto e de 100 imagens do fotógrafo Antonio David. Ainda foram realizadas apresentações da banda da Polícia Militar e do Programa de Inclusão Através da Música e das Artes (Prima).

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual ressaltou que o museu representa um marco para a história de João Pessoa. “Não era admissível que uma Capital com 436 anos não tivesse um espaço para contar suas conquistas e lutas e hoje tivemos a oportunidade de entregar ao estado e à cidade um ambiente que também terá inovações e um prédio totalmente restaurado, como fizemos com o Museu do Artesanato Paraibano”, frisou.

Ele também destacou a criação do Museu da História da Paraíba. “O Palácio da Redenção tem um grande acervo e deve estar aberto para que a população conheça a história do nosso estado. Nós já estamos trabalhando no projeto e queremos ter mais um museu para ser aberto no próximo ano”, acrescentou.

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, destacou a importância do equipamento de cultura para a preservação da história e para o desenvolvimento turístico da cidade. “Essa ação representa o cuidar do nosso estado e vamos caminhar em favor da preservação do nosso Centro Histórico e das nossas memórias para que elas sejam contadas não só a essa geração, mas a gerações futuras porque sem passado não teremos futuro. Além disso, esse também é um espaço de aprendizado para que se compreenda as nossas origens e os fatos que nos fizeram chegar até aqui”, completou.

O secretário de Estado da Cultura, Damião Ramos, evidenciou o trabalho da gestão estadual para assegurar à Capital paraibana um ambiente de valorização cultural e de preservação da história. “O governador João Azevêdo determinou a recuperação em tempo recorde da casa onde morou o então presidente João Pessoa, a figura central desse espaço, e esse é um dos fatos mais inéditos e belíssimos entregues à cidade porque museu é fazer história, escola e, sobretudo, memória”, comentou.

O coordenador do Museu, Diógenes Chaves, destacou o simbolismo da data da entrega do museu. “4 de novembro é considerada uma das datas de nascimento da cidade e hoje tomamos uma atitude simbólica para a cultura brasileira. Nós convidamos a população a vir nos visitar, se reencontrar e se ver no museu. Nós teremos uma programação com dinamismo de exposições e quem passar por aqui vai sair melhor do que entrou porque vai entender mais sobre a cultura da sociedade”, falou.

“O Museu permitirá que os nossos estudantes conheçam a nossa cidade e a nossa história, representando uma oportunidade de conhecimento”, celebrou o deputado estadual Wilson Filho.

Sobrinho-neto do então presidente da Paraíba, Abelardo Jurema agradeceu a homenagem a João Pessoa. “A família recebe com profunda alegria, não somente pela justiça que se faz à história de João Pessoa, que precisava de um local onde estivesse os objetos marcantes da sua passagem pelo Governo da Paraíba, e a implantação do museu é uma conquista grandiosa para a população da cidade que tem 436 anos de história que estava perdida em pequenos acervos e esse espaço dará mais orgulho e responsabilidade aos paraibanos”, sustentou.

O Museu – O MCJP seguirá novos padrões de coleta, preservação e divulgação da história da Capital paraibana. O padrão estático de um museu, que mostra sempre as mesmas peças e obras, dará lugar a uma estrutura interativa e com acervo sempre renovável.

Na parte externa, um jardim tem 900 roseiras que segue os padrões dos jardins da época em que o antigo sobrado foi construído.

O espaço também contará com uma sala, onde, numa mesa com tela de 72 polegadas sensível ao toque (toutch screen), serão projetados mapas antigos mostrando a evolução de João Pessoa ao longo do tempo.

Uma sala sensorial permitirá fazer projeções no teto para que o visitante observe o céu da Capital em diversas datas, mesmo em épocas passadas. A tecnologia se baseia em algo parecido com as informações das tábuas de maré – a observação do céu, posicionamento de estrelas e planetas é comum hoje, e essas imagens estão registradas e podem ser projetadas.

Também será oferecido um serviço de pet, para aquelas pessoas que tragam seus animais e queiram, inclusive, visitar a Praça da Independência, um espaço ligado ao Museu por causa da história e da arquitetura que se complementam.

Souvenirs do Museu da Cidade de João Pessoa serão produzidos e colocados à venda no Museu do Artesanato – Casa do Artista, que funciona ao lado e atuará em conjunto.

Jovens do Projeto Primeira Chance, do Governo do Estado, estão sendo treinados para atuarem como guias.

Yasmin Lima comemorou a oportunidade de ter sua primeira experiência profissional no museu. “É importante que a gente conheça a nossa história e esse espaço também ficará marcado porque representa um grande aprendizado que vai servir para a minha vida inteira. Nós passamos por uma qualificação para recebermos as pessoas que irão nos visitar e como João Pessoa é uma cidade antiga é preciso ter esse equipamento”, disse.

O poeta e escritor Irani Medeiros elogiou a abertura do espaço. “Eu acho muito importante para a cultura da cidade porque estávamos carentes de um museu com essa proposta e dimensão, inclusive para trazer os alunos das escolas públicas para a visitação porque a gente precisa aprender a nossa história e legar isso a gerações futuras, no caso nossos filhos e netos”, falou.

A primeira-dama Ana Maria Lins; o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino; deputados estaduais; prefeitos; vice-prefeitos; vereadores; e auxiliares da gestão estadual prestigiaram a solenidade.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

UEPB: uma crise democrática

Confusão continua: TRE nega ter chancelado posse de Raissa Lacerda na Câmara

Anteriores

PM apreende armas e celulares com facção que planejava ataques em Santa Rita

Presos suspeitos de integrar facção que planejava matar ‘rivais’ em Santa Rita

PM, força tatica

Líder criminoso do Maranhão é preso novamente pela PM em João Pessoa

TCE 2021

TCE aponta excesso de servidores contratados em 44 municípios da PB

caminhaotombado

Caminhão com asfalto tomba em vala da BR 230 em Santa Rita

apreensao1 (1)

Operação cumpre mandados de prisão contra facção criminosa na Paraíba

padrastgo

Padrasto tenta culpar ex-esposa, mas pega 42 anos por assassinato de Júlia

hugomottaeministro

Ministro informa a Hugo que Paraíba deve ganhar novo aeroporto em São Bento

fasfasg

Célio Alves promete recorrer de condenação por violência de gênero

Edicoes-coisas-pra-ajeitar-1_Easy-Resize.com_-1

PGR denúncia Pâmela Bório por associação criminosa nos atos do 08 de Janeiro

operacaocartola

Operação Cartola: Gaeco reconhece a prescrição de penas de dois acusados no caso