Em Picuí, salsichas ‘recheadas’ com vidro atraem animais para a morte

Nesta sexta-feira, 17, uma protetora de animais encontrou na Praça de Eventos em Picuí algumas salsichas “recheadas” com vidro, deixadas por alguém que pretendia causar uma morte dolorosa aos cães e gatos que ingerissem aquele alimento. Maria das Vitórias da Silva é cuidadora de animais e retirou a armadilha do local, que ela sempre frequenta a fim de fornecer ração aos pets que vivem nas ruas da cidade.

Na semana passada, ao chegar na Praça de Eventos, no centro de Picuí, ela se deparou com cães sangrando pela boca. Sem saber ainda do que se tratava, levou dois cães para casa, onde permanecem atualmente sendo tratados por Vitória.

Somente ontem, ela ficou sabendo que se tratavam de salsichas recheadas com vidro que haviam sido deixadas de maneira proposital e sistemática para causar a morte de animais que estão nas ruas e, consequentemente, com fome, se sentem atraídos pelo alimento.

O advogado Francisco Garcia denunciou o caso em seu perfil no Instagram e alertou que esse tipo de conduta configura crime punível com cadeia.

“Praticar maus tratos e matar animais são crimes tipificados pela lei federal 9605/98 com pena de até cinco anos de xilindró e não cabe fiança na esfera administrativa”, explicou o coordenador do Núcleo de Extensão em Justiça Animal (NEJA).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.