Associação da Polícia repudia venda de rifa para construir sede

Os policiais civis de Monteiro entraram em contato ontem com o presidente da Aspol Flávio Moreira para solicitar providências quanto a um vendedor que está comercializando cartelas de uma rifa para “ajudar os policiais civis a construir sua sede campestre”. O caso já havia sido registrado na 9ª Delegacia Distrital da Capital e na regional de Patos.

Por causa disso, a Aspol emitiu uma nota oficial, destacando seu caráter de representante reconhecida e legitimada dos policiais civis. No documento, a Associação diz que os policiais civis "não precisam deste expediente e que a entidade SSPC/PB – Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba, apesar de legalizada não representa os policiais civis paraibanos de fato, pois não possui sequer associados". Leia a íntegra da nota:

NOTA À IMPRENSA E A SOCIEDADE PARAIBANA

A ASPOL/PB – Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba, entidade legitimada e reconhecida pelos policiais civis do Estado como única representante dos mesmos, pelos serviços prestados e lutas travadas em prol da categoria, vêm a público INFORMAR A TODA A SOCIEDADE PARAIBANA e orientar para que tome as providências abaixo indicadas, quanto a venda de uma rifa:

1 ) A entidade denominada SSPC/PB – Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba não tem credibilidade nenhuma perante os policiais civis paraibanos, os quais inclusive não são filiados a mesma, que possui em seu quadro social cerca de 50 policiais, sendo que 35 são da Diretoria e os demais aposentados ou pensionistas que não tiraram o desconto ainda por medo de perder direitos, ameaçados por tal diretoria;

2 ) O SSPC/PB apesar de possuir o registro sindical é alvo de diversas ações por parte dos policiais civis no intuito de destituir a referida diretoria, a qual é ocupada pelo mesmo “presidente” há 22 (vinte e dois) anos, sendo que este sequer frequenta as delegacias do Estado, pois é repudiado e rejeitado por 95% (noventa e cinco) por cento dos policiais civis, o que para constatar basta telefonar ou comparecer a qualquer delegacia do Estado;

3 ) Sempre após o movimento de greve promovido pela ASPOL/PB, legítima defensora dos policiais civis, o citado sindicato promove tais “sorteios”, aproveitando-se do prestígio dos policiais civis que lutam perante a sociedade para arrecadar fundos e sustentar a permanência do referido sindicato, QUE NÃO TEM ARRECADAÇÃO SUFICIENTE PARA ARCAR COM SEUS PRÓPRIOS CUSTOS JÁ QUE NÃO TEM ASSOCIADOS SINDICALIZADOS;

4 ) A distribuição de um adesivo “AMIGO DA POLÍCIA CIVIL” por parte do SSPC/PB, dando a entender ao adquirente das cartelas que está ajudando os policiais civis, na verdade provoca reação contrária perante a categoria que carrega verdadeiro pavor a referida entidade;

5 ) Todo e qualquer cidadão que for abordado por vendedores desta cartela deve imediatamente procurar a Delegacia de Polícia Civil da localidade e solicitar dos policiais civis para que evitem ser aborrecidos e constrangidos pelos vendedores, os quais muitas vezes insistem inclusive questionando se o comerciante “não gosta da Polícia”, o que na verdade é uma forma de coação;

6 ) Os policiais civis da Paraíba reconhecem a boa fé de todos os que adquiriram a referida cartela e solicitam aos mesmos que procurem o Ministério Público Estadual, de posse dos referidos bilhetes para, querendo, solicitar de volta o que pagou, já que não estão em hipótese nenhuma ajudando aos policiais civis e sim a sustentar, contra a vontade de toda uma categoria, pessoas indesejáveis na direção de um pseudo-sindicato que sequer tem filiados e que só serve a interesses próprios;

7 ) Para que se tenha idéia da boa-fé do SSPC/PB, este possui em seu mesmo endereço mais 4 (quatro) entidades: APCEP – Associação dos Policiais Civis da Paraíba, FEPCEP – Federação dos Policiais Civis da Paraíba, SINAEP – Sindicato dos Agentes de Investigação do Estado da Paraíba, SINEP – Sindicato dos Escrivães de Polícia da Paraíba, todas estas apenas para “legitimar” o grupo que se apossou do sindicato da categoria;

8 ) Os policiais civis paraibanos estão tomando as providências necessárias para “destronar” os que ocupam indevidamente o “sindicato” da categoria, utilizando-se de uma carta sindical e recuperar a boa imagem da representação sindical;

9 ) Os policiais civis que sentirem-se envergonhados com o uso do nome de nossa instituição para “angariar fundos”, prejudicando inclusive o relacionamento entre policia-comunidade, deverão procurar a ASPOL para que por meio de sua assessoria jurídica ingressem com ação de indenização por danos morais contra o SSPC/PB, como fará a ASPOL/PB em nome de seus 902 associados;

10 ) O referido sorteio NÃO É AUTORIZADO PELA LOTEP – LOTERIA DO ESTADO DA PARAÍBA, tendo sido inclusive comunicado ao Secretário de Segurança que despachou afirmando que “NÃO AUTORIZA E NÃO CONCORDA COM ESTE TIPO DE PROCEDIMENTO”;

Os policiais civis da Paraíba agradecem a todos e desculpam-se pelos inconvenientes e prejuízos financeiros causados por tal ato, colocando-se desde já, por meio da ASPOL/PB, telefones (83) 9105.7575,  à disposição para buscar judicialmente e extra-judicialmente a reparação de tais danos. O desespero por sustentar um grupo não pode ferir a dignidade dos policiais civis.

Flávio Emiliano Moreira Damião Soares

Presidente da ASPOL

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.