Acusado de suborno a jogador do Sousa se defende e admite processo contra Aldeone Abrantes

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O empresário César Poubel, que chegou a ser detido ontem em Sousa acusado de tentar subornar o jogador Luiz Henrique para que ele não entrasse em campo no próximo domingo na partida contra a Ferroviária, negou as acusações. Em entrevista ao programa O Povo na Band, da TV Band Manaíra, ele disse que foi à cidade para conversar com Luiz, que ele conhece faz anos, sobre o futuro do atleta e não teve qualquer relação com o jogo decisivo entre o Dino e a Ferroviária.

“O que eu estou sendo acusado é mentira. É inverdade. Fui a Sousa tratar de negócios para o futuro de Luiz Henrique. Eu não tenho relação com a Ferroviária. Estou muito decepcionado com a atitude do presidente [do Sousa, Aldeone Abrantes]. Eu quase sofri um atentado. É uma vergonha a capacidade da direção do Sousa”, afirmou César.

Ele admitiu que falou sobre um contrato com um time japonês, mas negou que essa proposta tenha sido feita em troca da ausência de Luiz Henrique em campo no domingo. César declarou que o vínculo do atleta com o Sousa acaba em um mês e aí ele estará livre para jogar em qualquer equipe.

“Já conversei com meus advogados, registrei ocorrência contra o Sousa e contra o presidente. Meus advogados é que vão decidir o que fazer”, resumiu.

Sousa e Ferroviária se enfrentam neste domingo, 3 de setembro, às 15h, no Estádio Marizão, em Sousa, às 15h. O jogo definirá quem sobe para a Série C de 2024.

Entenda o caso –  O presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, denunciou que César teria feito uma proposta financeira para o jogador Luiz Henrique, do Sousa, para que ele não entrasse em campo domingo. Segundo o dirigente, o atleta receberia um carro e um contrato com uma equipe de futebol do Japão caso aceitasse. A Polícia Militar foi acionada e Poubel teve que prestar depoimento sobre a denúncia.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

Anteriores

Fernando Haddad com covid

MAIS LIDAS