Zenóbio prevê seis meses de contenção até equilíbrio do Estado

O deputado estadual Zenóbio Toscano (PSDB), anunciado como presidente da PBGás, comentou as medidas adotadas pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) para conter gastos e previu que o esforço deve perdurar por, pelo menos, mais seis meses até que o equilíbrio financeiro seja atingido. Ainda de acordo com ele, em casos mais severos, como o da Cagepa, o gestor deverá precisar de mais tempo para arrumar as finanças.

Zenóbio rebateu as declarações do ex-secretário de Finanças do Governo Maranhão, Marcos Ubiratan, que negou haver a quebradeira alegada pela equipe de Ricardo:

– O Estado está quebrado, sim. Se ele fosse uma empresa privada, já teria a falência decretada por seus credores. Lamento que o secretário Marcos Ubiratan, com tanta experiência que tem, inclusive com uma história de serviços prestados à Paraíba, não tenha conseguido controlar a utilização da máquina pública estadual em favor de uma candidatura. Foi isso que quebrou o Estado.

O tucano completou seu raciocínio citando a situação dos hospitais.

– É lamentável a situação em que o Governo Maranhão III deixou o Estado da Paraíba. Há dificudades não apenas na área de pessoal, mas também na área da Saúde. Os hospitais estão em um estado lastimável. Em Guarabira, para funcionar neste curto período, foi preciso recorrer a prefeituras de cidades vizinhas para suprir as dificuldades iniciais. O hospital foi deixado desabastecido e as licitações não foram realizadas. Tudo isso leva tempo e tem a parte legal para ser cumprida.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.