Zenóbio aponta redução no policiamento e quer convocar Comandante da PM

O deputado Zenóbio Toscano (PSDB), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), pediu hoje à tarde na tribuna da Assembleia Legislativa a convocação urgente do comandante da Polícia Militar da Paraíba, Wilde Monteiro, para esclarecer, numa audiência pública, por que existem mais policiais a disposição de órgãos públicos do que na maioria dos municípios paraibanos. Zenóbio condenou também, na ocasião, a intenção do governo estadual de querer reconstruir a barragem de Camará.

Com relação ao policiamento, ele ressaltou que a redução do efetivo em alguns municípios do Estado tem causado um aumento considerável nos índices de violência e deixado a população com medo e apreensiva. “Eu tenho a informação, por exemplo, que o município de Cuité tem apenas 37 policiais para atender dez municípios, e cada um vai trabalhar 24 horas e folgar dois dias. Então, isso quer dizer que a cada dois dias, apenas um policial vai fazer a segurança de um município desse. O município de Sossego enfrenta o mesmo problema e só tem policiamento na feira do sábado e do domingo”, contou.

Zenóbio disse que, enquanto os municípios enfrentam problemas de segurança pública, órgãos públicos, como o Ministério Público Estadual, Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas do Estado, tem um efetivo muito maior. “Só o TJ, para se ter uma idéia, tem quase 300 policiais à disposição. Esses militares poderiam estar prestando serviços no interior do Estado”, acrescentou. 

Sobre a barragem de Camará, o tucano informou que esteve recentemente em Alagoa Grande e tomou conhecimento de que a população, lideranças e representantes da Prefeitura do Município não querem a recuperação da barragem. Ele defende, inclusive, uma pesquisa local para saber o que o povo do município quer. “Governo democrático tem que ouvir a população. E ela não quer essa obra por conta do fato lamentável que ocorreu há vários anos, quando a barragem rompeu, deixando vítimas e centenas de pessoas desabrigadas”, lembrou. 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.