Zé Luiz chama de “cachorrada” tratamento que recebe do PSC

A indicação do novo secretário de Infraestrutura do governo estadual em substituição ao deputado estadual Leonardo Gadelha iniciou uma crise no Partido Social Cristão (PSC) na Paraíba. O impasse foi criado entre o vice-prefeito de Campina Grande, José Luiz Júnior (PSC), convidado pelo governador José Maranhão para ocupar o cargo e o presidente estadual da legenda, deputado federal Marcondes Gadelha, que indicou o seu irmão e médico Renato Gadelha, filiado ao PT para o cargo.

O vice-prefeito José Luiz afirmou que durante conversa com José Maranhão recebeu o convite para ocupar a pasta de Infraestrutura, mas recomendou que buscasse o aval do seu partido para reforçar a indicação. José Luiz afirmou que, em encontro com Marcondes Gadelha, ele comunicou que Renato queria ocupar o cargo e tinha o aval da bancada do PSC. “Lembrei que depois de ter organizado a legenda no Estado e oferecido a direção do partido, esperava um apoio agora. Ele me deu razão, mas manteve a indicação do irmão. Mas me aguardem, que não vou aceitar uma cachorrada dessa”, avisou.

José Luiz estranhou o fato da bancada do PSC indicar um nome do PT para substituir Leonardo Gadelha, pois segundo ele é uma indicação familiar dos Gadelhas.  Ele afirmou que caso não consiga o aval do PSC para ocupar o cargo poderá se desincompatibilizar hoje da vice-prefeitura para disputar um mandato de deputado federal e estadual nas eleições de outubro. “É preciso que a direção do partido reveja essa posição, caso contrário, vou voltar a ser o verdadeiro José Luiz que sempre não aceita injustiça e que sempre diz a verdade”, alertou.

Médico ressalta apoios – Ouvido ontem pelo Jornal da Paraíba, o médico Renato Gadelha (PT) se mostrou confiante de que será indicado para o cargo por ter recebido o aval da bancada federal e estadual do PSC. Ele citou nominalmente o deputado Leonardo Gadelha, seu sobrinho, como avalista da indicação, mas também disse ter recebido adesões dos outros parlamentares da legenda –  Guilherme Almeida, Carlos Batinga – , além de Arnaldo Monteiro (DEM), desde o final do ano passado.

“A indicação é uma prerrogativa do governador José Maranhão. Ainda não conversei com ele sobre a decisão que irá tomar. O que me resta agora é esperar os fatos acontecerem”, completou.

No entendimento do médico Renato Gadelha, um dos diretores do Hospital João XXIII em Campina Grande,  o fato de não ser filiado ao PSC, mas ao PT, não representa nenhum empecilho, já que também possui o apoio de grande parte do diretório do seu partido para ocupar um cargo no governo do Estado.

Renato Gadelha disputou a presidência do PT de Campina Grande, mas perdeu para Alexandre Almeida. Ele ocupou cargos de direção no  Hospital Universitário e da Entidade de Administração de Hospitais de Campina Grande.

O presidente estadual do PSC, deputado federal Marcondes Gadelha, foi procurado, mas não foi localizado pela reportagem.

 

Jornal da Paraíba

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.