Wilson Filho revela que Lula saudou seu pai como senador

A esperança é a última que morre. O provérbio pode ser aplicado ao sentimento do deputado federal eleito Wilson Filho (PMDB) a respeito da participação do governador da Paraíba, José Maranhão (PMDB) no futuro governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Hoje à tarde, em entrevista à Rede Paraíba Sat, o parlamentar disse que a indicação de Maranhão para um ministério ou estatal

– Isso não é uma questão partidária ou pessoal. Para ter um paraibano com um cargo nacional de destaque poderá ser de ajuda para a Paraíba e o que importa é a capacidade e a competência. As declarações do vice-governador Rômulo Gouveia e de alguns deputados do PSDB mostram que eles apoiam publicamente a indicação do governador para um ministério. Até agora, foram apresentados alguns nomes. A presidente mostrou interesse em alguns e não mostrou em outros.

Segundo Wilson Filho, o nome de José Maranhão estava na relação de indicados pelo PMDB Nacional. O futuro deputado afirma que a fatura não está liquidada apesar de a presidente ter anunciado esta semana a confirmação de cinco peemedebistas entre seus auxiliares:

– Foi emitida uma nota oficial pelo PMDB com a indicação de alguns nomes para alguns cargos, mas o PMDB ainda está brigando por outras indicações, inclusive de ministérios, que a presidente eleita ainda não disse para quem vai. Eu vi de forma bem clara que a briga de 2002 era muito grande entre o PMDB e o PT. Na última quarta-feira, houve um jantar, com o presidente Lula e toda a cúpula do PMDB, todos os deputados, o presidente falou de forma clara, agradeceu ao PMDB pela eleição de Dilma, cumprimentou o presidente do Senado, José Sarney, o vice-presidente Michel Temer; e depois o deputado federal e senador eleito Wilson Santiago. Ele falou com essas palavras: Senador, é um prazer tê-lo num cargo ainda maior dessa vez. Você me ajudou muito e eu agradeço demais. E até esqueceu e só depois falou do anfitrião Eunício Oliveira, senador eleito do Ceará. A briga é muito grande lá. Mas, depois que o PMDB e o PT se aliaram de verdade na reeleição de Lula em 2006, no segundo mandato dele o PMDB teve um espaço bom. Agora, não somos aliados apenas, mas somos governo e temos um espaço menor. Então, a defesa por mais espaços para o PMDB ainda existe.

Maranhão no PMDB – Apesar de algumas discordâncias, o deputado eleito entende que o melhor nome para a presidência do PMDB da Paraíba é o do governador José Maranhão:

– Eu não posso ser hipócrita e dizer que não defendo José Maranhão. Eu sou mais experiente que alguns outros pela experiência que tenho representando meu pai em todos os municípios e vejo em Maranhão, apesar de o povo não ter dado a ele o direito de se reeleger, um homem que gosta de trabalhar pela Paraíba. Só por que está sem mandato? Eu ainda o considero o governador como o chefe e líder maior do PMDB. Pode ser que ele não queira ser presidente. Essa é uma discussão que precisa ser feita com ele e com os filiados. Formalmente, ele não é o presidente. É Antônio Souza e ele ajudou principalmente os deputados de primeira candidatura, mas o novo presidente tem que ser escolhido entre as pessoas que querem o bem do PMDB. Até que me apresentem um nome melhor, eu defendo o governador José Maranhão.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.