Walter Aguiar e Frei Anastácio se estranham durante protesto

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) foi o único parlamentar do poder legislativo da Paraíba a participar da assembleia dos policiais civis e militares, realizada no ginásio da Caixa Beneficente da PM, em Jaguaribe, em João Pessoa. A reunião começou no início da tarde e terminou com um protesto, no final da tarde, em frente ao Palácio da Redenção, quando os manifestantes exigiram uma audiência com o governador Ricardo Coutinho (PSB) para cobrar o pagamento da PEC 300. No âmbito da Assembleia, Frei Anastácio está propondo a criação de uma frente parlamentar para dialogar com o governo do estado.

Segundo Frei Anastácio, a frente parlamentar seria formada por deputados de todas as bancadas, com participação de representantes das entidades das polícias civil e militar. “Temos que nos unir a essas categorias que lutam por direitos, inclusive, aprovados pela Assembléia Legislativa. Temos que encontrar uma solução para esse impasse entre as forças de segurança do estado e o atual governo”, disse Frei Anastácio.

O secretário-chefe do Governo, Walter Aguiar, mais uma vez se dispôs a receber a liderança do movimento dos policiais do Estado da Paraíba, no Palácio do Governo, mas novamente os representantes do movimento se recusaram a ser recebidos pelo secretário. Eles alegaram que só aceitam ser recebidos pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). Walter lamentou a atitude dos comandantes do movimento porque o Governo tem a disposição imediata de recebê-los.
 
“O governador não tinha agenda disponível para recebê-los, não estava nem no Palácio, ele não pode ficar à disposição do movimento. O governador vai procurar ter uma agenda para encontrá-los, mas de imediato o Governo se ofereceu para mediar e receber as reivindicações dos policiais, porque acha justo que eles se mobilizem e reivindiquem”, disse Walter Aguiar.
 
Segundo Walter, a situação do Estado já é clara, pois no momento não está podendo conceder reajustes aos servidores. O único estado em que a polícia recebe a remuneração que os policiais paraibanos estão exigindo é o Distrito Federal, porque os recursos são do Governo Federal. No momento, o Estado se encontra com as transferências de recursos federais bloqueadas e impossibilitado de liberar até mesmo os empréstimos concedidos, porque extrapolou a Lei de Responsabilidade Fiscal.
 
“Achamos a PEC 300 importante, só que tem que se criar um fundo nacional. É esse o projeto que está na Câmara Federal e que o governador Ricardo Coutinho e grande parte dos deputados são favoráveis”, disse.
 
Walter reafirmou que o Governo tem interesse em receber o movimento, tão logo a agenda do governador permita, mas lamentou o fato do movimento dos policiais ter sido partidarizado.

Farpas – Em meio ao protesto, Walter Aguiar perguntou ao deputado Frei Anastácio se ele era policial. A pergunta foi entendida pelo parlamentar como uma provocação. Anastácio deu as costas ao companheiro de partido e subiu num carro de som para responder a ele que tinha legitimidade de estar no ato público porque era deputado e seu mandato havia sido outorgado pelo povo.

Tanto Aguiar quanto Anastácio são filiados ao PT e têm convivência política há anos.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.