Vitalzinho se preocupa com obesidade no Brasil e quer medidas preventivas

O deputado federal e Senador eleito Vital do Rego Filho, Vitalzinho (PMDB-PB) defendeu nesta quarta-feira (05) que a presidente Dilma Rousseff (PT) adote medidas para conter o aumento no número de mortes no Brasil ocasionadas por doenças relacionadas à obesidade. Ele sugeriu a adoção de programas de enfrentamento da obesidade, “com propostas de ações desenvolvidas por diversas áreas do governo, que deverão incluir, além da Saúde, os ministérios dos Esportes e o da Educação”.

Vitalzinho disse que o Congresso Nacional tem a obrigação de regulamentar leis que adotem medidas para coibir os alimentos muito calóricos e gordurosos nas estruturas públicas, “evitado que escolas e hospitais tenham em seus cardápios alimentos que propiciem o desenfreado problema que começa na infância, passa pela adolescência e consomem os adultos”.

Vitalzinho citou estudos segundo os quais o Brasil, se não adotar medidas urgentes, atingirá o mesmo padrão de obesidade da população dos Estados Unidos, em 2022. “Além de favorecer a diabetes, a obesidade também é considerada fator de risco para alguns tipos de câncer, outra doença cujo índice de mortalidade aumentou 4% no País entre 1995 e 2007, cujas causas se dão exclusivamente pelo envelhecimento e sedentarismo da população”.

Estruturação e novas leis
– Ele pediu que o governo da presidente Dilma atue de forma eficaz no combate dessa preocupação nacional, “aparelhando adequadamente serviços de saúde dos estados e criando leis que visem proibir e/ou coibir que crianças e jovens sejam induzidos a consumir os pseudo saborosos, calóricos e gordurosos alimentos”.

Para Vitalzinho, esses argumentos são necessários por uma questão de saúde pública, vez que estamos ligados a estatísticas que comprovam esse desenfreado problema que vem vitimando os brasileiros. “Proponho um amplo debate sobre esse problema e seus malefícios, tema de extremo interesse dos brasileiros, que sofrem vendo seus filhos e parentes morrendo por causa da morbidez da gordura no organismo”.

Ele concluiu alertando para o fato de o problema da obesidade já atingir o Brasil “de forma preocupante”, provocando reflexos nas estatísticas de mortalidade. “O Ministério da Saúde aponta um crescimento de 10% das mortes provocadas por diabetes mellitus entre 1996 e 2007. A doença, intimamente associada ao aumento de peso, é a terceira causa de mortalidade no Brasil, atrás de doenças cerebrovasculares (como derrame) ou do coração. Em 2005, ela ocupava o quarto lugar neste mesmo ranking”, finalizou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.