Vital Filho garante apoio a docentes contra projeto que congela salários

O deputado federal e pré-candidato a Senador Vital do Rego Filho (PMDB-PB) recebeu ontem, em João Pessoa, uma comissão da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande – ADUF-CG que pediu apoio para que o parlamentar vote contra o Projeto de Lei 549/2009, que tramita na Câmara dos Deputados. Segundo os docentes, o projeto congela os salários dos servidores federais por dez anos e tem a repulsa de todas as entidades que representam a categoria no país.
 
Durante a reunião, o professor Amaury Fragoso, da ADUF- CG, parabenizou a postura dos deputados da CTASP (Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público) que, no último dia 12 de maio, rejeitaram o Projeto, ao aprovar, por unanimidade, o parecer do relator Luiz Carlos Busato (PTB-RS), pela rejeição da proposta.
 
Segundo Amaury, esta importante conquista da categoria foi alcançada diante de muita luta. Ele lembrou que várias manifestações ocorrem em todo país contra o projeto de lei. “Em Brasília, no dia 15 de abril, uma grande passeata reuniu cerca de 2 mil servidores e todos estes esforços comprovam que a mobilização é a resposta contra medidas do governo que retiram diretos”, diz material produzido pela Assessoria de Imprensa da ADUF-CG.
 
Amaury lembrou que a atuação das entidades, agora, será para o acompanhamento da proposta na Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento, onde será apreciada por um novo relator. “Nós vamos passar a acompanhar mais de perto este projeto. Esta semana vamos saber quem é o relator da matéria e procurar manter um entendimento sobre a luta dos servidores”, afirmou o parlamentar.
 
Amaury Fragoso disse a Vital Filho que há outra preocupação dos servidores. Segundo ele, existe também o Projeto de Lei para demissão por insuficiência de desempenho, o desmantelamento das conquistas do Regime Jurídico Único e a restrição ao direito de greve.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.