Vital assina documento se comprometendo com agentes fiscais do Estado

Ao participar do debate promovido pelo Sindifisco, que foi realizado Caixa Beneficente da Polícia Militar, em João Pessoa, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), candidato ao governo do Estado pela Coligação Renovação de Verdade, voltou a defender a Lei do Subsídio que, segundo ele, foi descumprida pelo governo atual.
 
Na oportunidade, o candidato do PMDB assinou um documento se comprometendo a trabalhar com transparência com os agentes fiscais do Estado. Diante dos agentes, Vital apresentou ainda as suas propostas em favor da categoria, principalmente, valorizado e respeitando os servidores.  
 
O peemedebista lamentou o descumprimento da Lei do Subsídio por parte do governo atual, o que segundo ele, se configura em um desrespeito para com a categoria que tem contribuído muito para o desenvolvimento da Paraíba.
 
“Vou resgatar a Lei do Subsídio para os ficais e policiais, implementar efetivamente o plano de cargo e carreiras. Respeito quem tem direitos no serviço público, vamos fazer um novo Centro Administrativo em João Pessoa, fazer concurso para as áreas que são necessárias”, disse Vital do Rêgo.
 
No evento promovido pelo Fórum dos Servidores, Vital reafirmou que vai manter um canal de diálogo próximo entre o governo e o funcionalismo público. Dentre suas propostas para a consolidação da relação dos servidores públicos com o governo e com a sociedade, bem como a promoção da transparência das contas públicas, ele irá implantar a Câmara de Diálogo Permanente com os servidores e o programa Contas Abertas.
 
Vital já anunciou a implantação, em seu futuro governo, do turno único no Governo do Estado, para o funcionalismo público estadual. A exceção, segundo Vital, será dos serviços essenciais, como Saúde, Segurança Pública e Educação. Já nesta quarta ele garantiu que vai criar também a Câmara de Diálogo Permanente com os servidores, para atuar em parceria com o Fórum dos Servidores Públicos Estaduais, composto por representantes de 36 entidades.
 
“A Câmara de diálogo permanente com os servidores atuará em parceria com o programa Contas Abertas, para mostrar de forma transparente para os servidores, bem como à sociedade em geral, o que eu posso e não posso fazer, trazendo o funcionalismo público para ser parceiro do governo e não vítima do governo, como é atualmente”, afirmou Vital.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.