Vital admite prorrogação da CPI Mista da Petrobras

O presidente da CPI Mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), admitiu que os trabalhos da comissão devem ser prorrogados. De acordo com Vital, os trabalhos estão prejudicados pela ausência dos parlamentares nas reuniões devido à campanha eleitoral. A reunião administrativa que estava marcada para ontem não ocorreu por falta de quórum.
 
Se confirmada a prorrogação, o encerramento da CPI mista que estava marcado para 7 de dezembro deve ficar para o final do ano. As atividades não podem, porém, ser retomadas em 2015. O Regimento Interno do Senado estabelece  que esse tipo de comissão deve ser extinta ao final de uma sessão legislativa. Ainda assim, Vital do Rêgo acredita que seja possível apresentar resultados concretos.
 
– Nós vamos construir uma solução, porque essa CPI não pode morrer sem dar uma resposta para a sociedade -disse Vital, que mais cedo já havia admitido a prorrogação da CPI do Senado.
 
O relator da CPI Mista, deputado Marco Maia (PT-RS), também defendeu a continuidade dos trabalhos. Além disso, ele observou que, apesar da falta de quórum, as atividades internas continuam com o exame da documentação já recebida.
 
– Estamos com os técnicos todos trabalhando, olhando todos os documentos que nós já recebemos. Estamos fazendo o cruzamento das informações. Há um trabalho longo, extenso e muito profundo sendo feito nesse momento pela assessoria da relatoria e que será importante lá no fim, para a produção do relatório final da CPI.
 
Nestor Cerveró – Está marcado para o dia 10 o depoimento do ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. Marco Maia disse ser relevante ouvi-lo, uma vez que Cerveró esteve à frente das negociações para a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Maia também adiantou a possibilidade de uma acareação entre o doleiro Alberto Youssef e a ex-contadora do doleiro, Meire Poza.
 
– Há contradições entre os depoimentos que foram prestados por eles tanto à Polícia Federal quanto às comissões em que eles já estiveram aqui na Câmara dos Deputados. Me parece que esse é um depoimento importante para que a gente possa cruzar com as informações que existem com relação aos contratos que foram firmados pela Petrobras e que estão à disposição da CPI, no caso da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco – esclareceu Marco Maia.
 
 
 
Agência Senado

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.