Vita descarta que sequestro de motorista tenha cunho político ou pessoal

O secretário Roosevelt Vita, da Controladoria Geral do Estado, declarou ao Parlamentopb não acreditar que seu motorista, Edmilson Gonçalves da Silva, de 31 anos, tenha sofrido realmente um sequestro na noite de domingo, quando retornava para casa no conjunto Valentina Figueiredo. Ele foi abordado em frente à sua residência por dois homens que, armados, o colocaram na mala do seu veículo. Na BR-230, próximo ao Posto da Operação Manzuá, o carro capotou, os criminosos fugiram e Edmilson, depois de algum tempo, conseguiu fugir.

Roosevelt Vita acredita que os bandidos deveriam ter roubado o veículo para praticar um assaltou ou para escapar depois de ter cometido algum delito. Para ele, o caso não apresenta características de crime político ou pessoal.

“Pelas características do evento, eu acredito que a hipótese mais remota é de sequestro. Sequestro tem outras características. E eu também não vejo que isso teria sido feito para tentar me atingir como secretário ou cidadão. Até porque eu estava fora, participando de um evento do Judiciário Brasileiro, em São Paulo, e só retornei ontem à Paraíba”, comentou.

Segundo o secretário, o crime apresenta sinais muito mais fortes de um assalto. “Um assalto poderia ter sido perpetrado, mas eu prefiro aguardar as investigações. Não tenho dúvidas de que esse caso será elucidado em poucas horas”, assegurou. Vita informou ainda que já comunicou o fato ao secretário de Segurança Pública, Gustavo Gominho, e a Coordenadoria da Polícia Civil, além de instituir uma comissão especial para apurar se, por acaso, houve negligencia, falha ou erro do servidor. 

O evento do Judiciário que o secretário participou aconteceu na cidade de São Roque, em São Paulo.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.