Vereador questiona gastos com Hospital de Trauma de João Pessoa

O vereador Lucas de Brito (DEM), questionou nesta quarta-feira (10), durante pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal, gastos com o Hospital de Trauma de João Pessoa. O vereador destacou dados abordados na coluna do jornalista Rubens Nóbrega, que revelam que o leito no Hospital de Trauma da Capital custa seis vezes mais caro que o de Campina Grande.
 
O parlamentar ressaltou que a diferença de custos não é justificada, uma vez que o Trauma de João Pessoa tem 148 leitos, enquanto o de Campina mantém 220 leitos. “O hospital que tem mais leitos gasta um quarto do valor do que tem menos. A partir disso, tiramos a conclusão de que o custo por leito em 2014 está em torno de R$ 590 mil, enquanto em Campina Grande está em cerca de R$ 94 mil. A diferença é de 572% entre dois hospitais, que em muito são assemelhados”, afirmou.
 
Para Lucas de Brito, a diferença nos gastos pode ser devido ao gerenciamento do Trauma de João Pessoa, que hoje é comandado pela organização social Cruz Vermelha. “Quais as vantagens de se entregar à Cruz Vermelha o hospital? A vantagem é encarecer o preço do leito? Porque é isso que tem acontecido. Não é possível que, no momento em que se estabelecem parcerias com a iniciativa privada em busca de eficiência, haja um encarecimento tão grande. E, se está mais caro, é porque alguma coisa está errada. Está em tempo de isso ser repensado para uma economicidade nos gastos públicos”, ressaltou.
 
Segundo o vereador, o dinheiro supostamente gasto a mais poderia ser investido em outras áreas deficitárias da saúde no Estado. “Esses recursos poderiam ser destinados a outras iniciativas, como a descentralização do atendimento de pessoas com câncer. Hoje, na Paraíba, apenas três hospitais atendem o paciente com câncer, dois em João Pessoa e um em Campina Grande. O paciente sertanejo que sofre com câncer precisa passar por um tratamento desgastante ao extremo distante de sua residência”, analisou.
 
Já Renato Martins (PSB) afirmou que o estudo apresentado pelo democrata está incompleto e não tem uma visão abrangente da situação. “Temos que colocar mais ingredientes nesse estudo. O preço do leito do Trauma da Capital é equivalente ou mais barato quando comparamos com anos anteriores. Ainda assim, o número de atendimentos quase triplicou, fazemos cerca de três mil exames e mil e trezentas cirurgias por mês. Além de ser uma comparação indevida com o Trauma de Campina, devemos analisar a complexidade dos serviços oferecidos e a própria demanda de cada Hospital”, concluiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.