Vereador diz que PPS pode ter novo nome para presidir partido

O vereador Bruno Farias (PPS) afirmou, em entrevista na semana passada, que o PPS poderá ter outro nome na presidência estadual da legenda que não seja nem Bernardino e nem mesmo a deputada estadual Gilma Germano, eleita em um congresso no último mês de outubro. Ele afirmou que até 31 de dezembro já terá uma decisão quanto à legitimação da eleição de Gilma ou a realização de um novo Congresso.

A discussão sobre o diretório estadual se arrasta desde a realização do Congresso, realizado à contragosto do presidente José Bernardino. Enquanto Bernardino e o deputado estadual Janduhy Carneiro se negaram a participar, representantes de mais de 80 diretórios municipais se reuniram na Capital e elegeram, por unanimidade, a deputada Gilma Germano como nova presidente. Bernardino recorreu junto ao Diretório Nacional do PPS e o congresso está sub judice. Ele permanecerá no cargo até dia 31 deste mês.

“Nós queremos a validação do Congresso. Queremos que aquilo que foi feito de maneira legítima e legal seja aprovado. Agora o partido luta pelo consenso, isso é natural. Se dentro de minha base tem pessoas que me apóiam e eu tenho uma divergência, me cabe, como líder, tentar conciliar. E o partido exerce este papel conciliador”, disse.

Apesar disso, segundo o vereador, a questão ainda não foi resolvida porque o partido não chega a um consenso. “Não chegamos ainda a este consenso e é por isso que não há uma decisão. A decisão que há é que o mandato de Bernardino expira no dia 31. Temos até este prazo para chegarmos a um consenso. Não havendo, haverá uma nova comissão. Ele não será presidido por Bernardino, poderá haver um terceiro. E esta comissão terá um objetivo: a realização de um novo congresso”, declarou.

Congresso – O Congresso Nacional do PPS realizado entre os dias 8 e 11 deste mês, em São Paulo, aprovou a Resolução Política do partido em que determina o lançamento de candidatura própria para presidente da República nas eleições de 2014, e prioritariamente para prefeitura em todas as capitais e cidades polos em 2012. Na ocasião, foi eleita também a nova direção para o diretório nacional da legenda, que reelegeu para um mandato de mais quatro anos o atual presidente, Roberto Freire. Ficou acordado que as definições acerca do Congresso estadual do partido ficaram para segunda quinzena de janeiro de 2012.

Candidaturas nas Capitais – A resolução partidária aprovada durante o Congresso Nacional, também prevê que todas as capitais e cidades polos devem ter como prioridade o lançamento de candidatura própria. “A primeira tentativa será pelo lançamento de um nome do partido para disputar as prefeituras desses municípios, incluindo João Pessoa, caso não seja realmente possível, é que se pode pensar em uma segunda alternativa que será uma composição com outra legenda”, disse o presidente estadual. Bernardino afirmou ainda que o único filiado a manifestar interesse em concorrer pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, foi o deputado Janduhy Carneiro.

“Janduhy até o momento foi o único que demonstrou interesse na disputa, e seu nome já está ganhando as ruas da Capital. Ele vem realizando visitas aos bairros e comunidades de João Pessoa, conhecendo de perto a realidade de cada lugar, e está sendo muito bem aceito”, disse o dirigente, lembrando que a aliança com o PSB já estaria “dissolvida de fato e de direito”, e que o partido já esta trabalhando por uma candidatura própria.

Bernardino informou que estaria convocando partidos que já confirmaram candidatura própria para prefeito em João Pessoa a participar de uma “Mesa da Unidade”. Segundo ele, essa Mesa terá como finalidade reunir os partidos para debater sobre os problemas da cidade a partir do contato direto com as comunidades e decidir se há possibilidade de unir essas legendas em torno de uma candidatura única para o pleito eleitoral de 2012.

“Vamos reunir partidos como o PSDB, PSL, PSC, PMDB para fazer ações conjuntas nos bairros e comunidades da Capital, realizar seminários para preparação de vereadores. agora eu quero salientar que essa Mesa não será comandada pelo PPS, mas sim, por todos os partidos que decidirem participar. Cada mês a Mesa será presidida por um partido, que será responsável para por em práticas essas atividades. Além disso, nós vamos também discutir sobre a possibilidade de lançar o único candidato, mas caso um decida em continuar com ideia de lançar candidato próprio, então possivelmente não vai dar”, disse José Bernardino.

 

Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.