Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Vereador critica Energisa e defende estatização da energia elétrica

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A sessão de hoje da Câmara Municipal foi suspensa por causa da falta de energia elétrica registrada por volta das 9h50. Em meio ao apagão – o quarto ocorrido desde ontem – o vereador petista Jorge Camilo criticou o serviço prestado pela Energisa e defendeu a estatização do setor energético.

"Para que o serviço seja prestado com qualidade, esse segmento deveria ser administrado por uma estatal. Serviços essenciais como a energia não deveriam ser privatizados porque a população é que sai prejudicada", disse.

Outro a reclamar do apagão foi o vereador Raoni Mendes (PDT). Em tom de brincadeira, ele adiantou que pensou em propor ao presidente da Casa, Durval Ferreira (PP) a aquisição de um gerador para que os trabalhos legislativos não fossem prejudicados.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

‘Festa da Adoção’ tenta aproximar crianças e adolescentes de pessoas aptas a adotar

Anteriores

Karla Pimentel

Prefeita de Conde homologa concurso público

lucassegfuranca

São João de Campina Grande tem monitoramento por drones, ‘supercâmera’ e identificação facial

joao-pessoa-trem-cbtu-cabedelo-santa-rita-divulgacao

Trens urbanos param no feriado de Corpus Christi

WhatsApp Image 2024-05-29 at 17.24.13

Prêmio APCA homenageia Cláudia Carvalho, editora do Parlamento PB

Pesquisa-oculos-2

Procon-JP registra variação de mais de 71% no preço de óculos de sol em nova pesquisa

Comercio-Foto-Divulgacao-Secom-PB-2

Saiba o que abre e fecha em João Pessoa no feriado de Corpus Christi

noname

Campanha Eleitoral: advogado fala sobre uso de Inteligência Artificial e pedido de votos

IMAGEM_NOTA_CIDADA_MAIO_2024_1_OK

Nota Cidadã divulga os ganhadores do mês de maio

WhatsApp-Image-2024-01-19-at-10.42.22

Linhas de ônibus funcionarão nesta quinta e sexta, dias 30 e 31, com frota dos dias de sábado

Médicos Processo seletivo emergencial

Juíza condena Prefeitura de Bayeux a indenizar médica inocentada pelo CRM