Vereador causa tumulto ao dizer que só vota projetos com dinheiro no bolso

A sessão de ontem na Câmara Municipal do Município de Pitimbu ficou tumultuada após o pronunciamento do vereador Elcias Azevedo Silva. Ele declarou ter implantado uma regra que ele próprio denominou de “barganha” financeira para poder votar as matérias que se encontravam na pauta, deixando os demais parlamentares e populares presentes boquiabertos.

A Ata da Sessão Ordinária do dia 30.4.2010 relata que, ao serem anunciados que três projetos de lei de autoria do Poder Executivo Municipal seriam apreciados e votados, o vereador Elcias Azevedo pediu a palavra e, na qualidade de líder da oposição, anunciou de forma inusitada que, a partir daquele momento iria barganhar a apreciação de projetos de lei, condicionando o seu voto e dos demais vereadores do bloco oposicionista ao pagamento dos seus salários.

O presidente da Câmara Municipal "Marquinhos é Dez", ficou sem entender o posicionamento do colega e o indagou sobre quais salários se encontravam atrasados. Elcias respondeu que o atraso era referente ao mês de abril e foi informado pelo presidente que ainda estavam no dia 30 do mês de abril e que, pela legislação em vigor, os salários do mês trabalhado poderiam ser pagos até o quinto dia útil do mês subsequente, computando-se o sábado. Mesmo diante da argumentação do presidente da casa, o vereador Elcias Azevedo permaneceu impassável cobrando o pagamento dos seus vencimentos. “Só votamos após o pagamento dos nossos salários”, confirmou o vereador.

A proposta de barganha do vereador Elcias Azevedo gerou discórdia no bloco oposicionista por ele liderado, o vereador Irmão Luiz discordou da opinião do seu líder, provocando tumulto entre os demais vereadores e atrasando a votação das matérias em pauta entre as quais a regulamentação do conselho municipal do idoso, adequação do FUNDEB e a concessão de aumento salarial dos professores municipais. O vereador Elcias Azevedo continuou o tumulto afirmando que os cinco vereadores da oposição (Luiz Costa, Genildo Barros, José Gomes Coutinho, Emília de Araújo e Elcias Azevedo), haviam previamente combinado que só participariam da votação mediante o pagamento de seus salários.

A Câmara Municipal de Pitimbu tem apenas uma sessão por semana e, o salário dos parlamentares é de R$ 3.000,00 (três mil reais).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.