Veneziano retira processo contra Shaolin após retratação

O humorista Francisco Josenilton Veloso, popularmente conhecido como Shaolin pediu desculpas ao prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego durante audiência na tarde de hoje, na presença do juiz Leonardo Sousa de Paiva Oliveira, da 7.ª Vara Criminal de Campina Grande. Ele demonstrou arrependimento por ter desrespeitado Veneziano em show realizado no Centro de Convenções do Garden Hotel e durante entrevista concedida na Rádio Campina Grande FM.
 
No show que realizou no Centro de Convenções em setembro de 2007 e durante entrevista ao jornalista Arquimedes de Castro, no Jornal Integração da Rádio Campina Grande FM, no dia 02/10/2007, Shaolin faltou com o respeito ao prefeito, ao chamá-lo de “canalha e mesquinho” e ao vincular a imagem do prefeito a crimes de prostituição infantil, pedofilia e compra de votos.
 
Na oportunidade, Shaolin disse ter usado os termos e ter feito as insinuações por estar “nervoso” e em “estado de ânimo exaltado”. Ele afirmou que, na entrevista, ao ser indagado sobre o porquê de usar o Centro de Convenções e não o Teatro Municipal para seus shows, por estar “muito nervoso”, disse “coisas que não queria”. Ele “reafirmou a retratação efetuada e apresentou pessoalmente o pedido de desculpas”, segundo despacho do juiz, e que pedia as desculpas “três vezes ou quantas forem necessárias”.
 
Quanto à entrevista, Shaolin disse que “não teve a intenção de vincular o querelante (Veneziano) com crimes de prostituição infantil, pedofilia e compra de votos”. Da mesma forma, disse que “não teve a intenção de macular a honra objetiva e subjetiva” de Veneziano. Shaolin se disse estar arrependido do que fez, lamentando o uso das palavras que usou, dizendo-se arrependido e afirmando ter sido um “momento infeliz, pois estava exaltado”.
 
Ao final, o juiz Leonardo Sousa decidiu pelo arquivamento da denúncia, levando em consideração que Veneziano aceitou o pedido de desculpas do humorista e que este (Shaolin) decidiu se reconciliar com o prefeito, “de acordo com o artigo 522 do CCP”. Ao mesmo tempo, Veneziano decidiu abrir mão de qualquer indenização que pudesse ocorrer.
 
Shaolin afirmou ao juiz que, antes do fato, relacionava-se “amistosamente” e “respeitosamente” com Veneziano e que não queria a “querela” com o prefeito, pois pretendia encontrar uma solução ali mesmo, na audiência, fato que motivou o magistrado a construir os termos da retratação.
 
Veneziano estava acompanhado do advogado Amaro Gonzaga e Shaolin dos advogados Félix Araújo Neto e Rodrigo Araújo Celino.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.