Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Unimed é obrigada a fornecer próteses e material cirúrgico

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba determinou que a Unimed João Pessoa forneça os materiais e próteses necessários para o procedimento cirúrgico de correção do membro superior direito de M. C.. “É abusiva a cláusula contratual que exclui de cobertura a colocação de próteses, quando esta é necessária ao bom êxito do procedimento cirúrgico coberto pelo plano de saúde”, disse, em seu voto, o desembargador João Alves da Silva,  fazendo referência ao Recurso Especial n.º 735168/RJ, que tem como relatora a ministra Nancy Andrighi.

Consta no relatório que o autor da Ação de Obrigação de Fazer entrou com o recurso apelatório nº 200.2006.030080-9/002, alegando que o magistrado de 1º grau laborou em erro ao decidir que as cláusulas contratuais que excluem a cobertura do procedimento e do material necessário não ferem os dispositivos do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

“O tratamento ortopédico é coberto pelo contrato firmado entre as partes e, portanto, o respectivo material cirúrgico também deveria ser fornecido, bem como a nulidade da cláusula contratual, pois implica desvantagem exagerada ao consumidor”, aduziu o recorrente.

A Unimed pugnou pela manutenção da sentença, e a Procuradoria de Justiça apresentou parecer no sentido de dar provimento ao apelo, reformando a sentença.

De acordo com o voto, a Lei 8.078/90, em seu artigo 51, inciso IV, anula de pleno direito as cláusulas contratuais que estabeleçam obrigações consideradas abusivas, bem como as que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada ou sejam incompatíveis com a boa-fé e a equidade.

“Não pode a operadora do plano de saúde intervir ou impor restrições à recomendação médica e negar-se a fornecer o necessário para o tratamento médico”, explicou o relator João Alves. E acrescentou que “estão carentes da boa-fé as cláusulas do contrato em testilha, mormente em se tratando, no caso, de procedimento médico que objetiva a colocação de implante, com vistas a corrigir deformidade no membro superior direito, decorrente de cirurgia anterior, sendo a referida prótese imprescindível para o êxito da intervenção cirúrgica.”

A Unimed foi condenada, ainda, ao pagamento de custas e honorários arbitrados em R$ 2 mil, com base no artigo 20, § 4º do Código de Processo Civil.

Presidiu a sessão de julgamento, nessa terça-feira (18) o desembargador João Alves da Silva, e acompanharam o voto o  desembargador Fred Coutinho e a juíza convocada Vanda Elizabeth Marinho, que está substituindo o desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

UEPB: uma crise democrática

Confusão continua: TRE nega ter chancelado posse de Raissa Lacerda na Câmara

Anteriores

zezo rai saia rodada luan

São João de Bananeiras tem Xand Avião, projeto A Vontade e outras atrações

gate policia militar pb

Operação prende em João Pessoa um dos criminosos mais procurados da Justiça do Amazonas

Brasília - 22.05.2023 - Foto da Fachada do Congresso Nacional, em Brasília. Foto: Antônio Cruz/ Agência Brasil

Lula classifica de insanidade proposta que equipara aborto a homicídio

reporter mauricio ferraz

Fantástico repercute desabamento no Up Garden, em João Pessoa, que deixou 44 feridos

celular FOTO Pixabay

Jovem é morto em SP após ir a encontro marcado por aplicativo

lula presidente FOTO ricardo stuckert presidencia da republica

Brasil está pronto para acordo Mercosul e União Europeia, diz Lula

janones deputado FOTO renato araujo camara dos deputados

STF tem maioria para tornar Janones réu por postagens contra Bolsonaro

carretas pegam fogo br101 mamanguape 140624

Carreta que pegou fogo na PB continua na rodovia, parcialmente interditada, e motorista morre no hospital

henrique e juliano FOTO insta

Henrique e Juliano se apresentam no São João de Campina Grande, neste sábado

mega sena FOTO rafael neddermeyer agencia brasil

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 47 milhões