TRE autoriza 12 vereadores cassados de SP a ficarem no cargo

Doze dos 13 vereadores cassados na segunda-feira foram autorizados pela Justiça Eleitoral de São Paulo a permanecer no cargo. Eles podem exercer suas funções até os recursos serem apreciados, informou a assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Segundo o TRE, o único vereador a não ter seu recurso apreciado foi Ricardo Teixeira (PSDB), que recorreu no fim da tarde.

O juiz Aloisio Sérgio Rezende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, cassou e declarou inelegíveis por três anos 13 vereadores por recebimento irregular de doações para campanhas eleitorais. Em todos os casos, o juiz entendeu que os vereadores receberam doações da Associação Imobiliária Brasileira (AIB) acima do limite. Todos negam as acusações.

Na última terça-feira, três deles entraram com recurso e obtiveram a suspensão da cassação. Nesta quinta-feira, outros nove foram beneficiados. Um suplente cassado também conseguiu o direito de ficar no cargo até o julgamento dos recursos no TRE. Não há prazo para que a Justiça Eleitoral aprecie os pedidos.

Até o momento, três vereadores falaram sobre o assunto. "Eu sou um bom vereador da cidade de São Paulo. Se o povo não achar, rua para mim (nas próximas eleições)", afirmou Wadih Mutran na terça-feira. Ele disse ainda que os trabalhos da Casa não serão prejudicados pelas cassações e que o Orçamento será votado.

O vereador Adolfo Quintas Neto (PSDB) afirmou por meio de nota que a doação recebida "foi declarada, aprovada e não impugnada pelo Ministério Público Eleitoral na prestação de contas dos gastos de campanha de 2008".

O vereador Carlos Apolinario informou que recorrerá da decisão. "A AIB já fez doações eleitorais ao presidente Lula, ao governador José Serra, ao ex-governador Geraldo Alckmin, à ex-prefeita Marta Suplicy e a vários deputados estaduais e federais, entre eles o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer", afirmou em nota.

Doações irregulares – Segundo a decisão judicial, no total os vereadores receberam da AIB R$ 1,655 milhões. Adilson Armando Carvalho Amadeu recebeu R$ 200 mil; Adolfo Quintas Gonçalves Neto, R$ 100 mil; Carlos Aberto Eugênio Apolinário, R$ 200 mil; Carlos Alberto Bezerra Júnior, R$ 100 mil; Cláudio Roberto Barbosa de Souza, R$ 100 mil; Dalton Silvano do Amaral, R$ 100 mil; Domingos Odone Dissei, R$ 145 mil; Gilson Almeida Barreto, R$ 100 mil; Marta Freire da Costa, R$ 180 mil; Paulo Sérgio Abou Anni, R$ 100 mil; Ricardo Teixeira, R$ 150 mil; Ushitaro Kamia, R$ 130 mil; e Wadih Mutran, R$ 50 mil.

Redação Terra

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.