Tião Gomes acusa prefeito de Areia de negociar habitantes com Remígio

O deputado estadual licenciado, Tião Gomes (PSL) está acusando o prefeito do município de Areia, Élson Cunha Lima (DEM) de negociar mais de 2500 habitantes com o município vizinho de Remígio, ambos no brejo paraibano, em uma espécie de "escambo" simplesmente para lucrar com a "negociata" e ainda diminuir a verba da cidade para que o próximo governante tenha dificuldades de administrar.

Segundo Gomes, alguns distritos localizados nas divisas entre cidades tiveram todo o seu eleitorado transferido para o município de Remígio e a manobra acabou acarretando na diminuição do repasse do Fundo de Participação dos Municípios, que passou de R$ 1.4mi para R$ 1.2 mi, ou seja, R$ 200 mil a menos pelo resto da vida.

“Élson Cunha Lima em acordo com o prefeito de Remígio Cláudio Regis surrupiaram mais de 2500 eleitores da cidade de Areia sem ao menos ouvir a população. Isso é uma vergonha. Em vez de fazer com que a cidade que administra cresça, o prefeito faz o contrário e cresce apenas o próprio bolso”, disparou Gomes.

Ao que tudo indica a negociação entre as prefeituras gerou um crédito gordo para a pessoa física do prefeito. “Se isso tiver acontecido mesmo, todos terão que pagar na justiça por vender o patrimônio público”, avisou.

Indignado com a situação, o deputado avisou que vai ingressar com uma ação na justiça contra todos os que participaram da "negociata".

“Estou entrando na justiça para tentar reaver o dinheiro do FPM destinado para o município de Areia e recuperar os eleitores da cidade, pois eu como representação da cidade no parlamento estadual trabalho para que a cidade progrida, e não para que ela regrida”, desabafou.

Outra medida que será tomada, segundo o deputado, é acionar o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para saber como se deu a negociação e quem assinaram os documentos que autoriza a mudança.

“Se a Câmara Municipal da cidade tiver colaborado com essa manobra ela também vai ter que pagar, pois nós vamos entrar na justiça e vamos processar todos que querem prejudicar o município de Areia”, sentenciou.

Manobra pode ter cunho político

Para o deputado Tião Gomes, a ‘manobra’ do prefeito Élson Cunha Lima deve ter um cunho político, já que o atual gestor está em seu segundo mandato e não preparou nenhum sucessor para 2012,

“Como ele sabe que a próxima eleição municipal para ele e para o grupo dele está perdida ele começou a prejudicar mais ainda o município. Isso pára mim é um desespero político dos grandes, pois ele não está prejudicando apenas Areia, mas sim todos os habitantes da cidade.

O parlamentar ressalta que os prefeitos passam, mas os acordos ficam e prejudicarão a população pelo resto da vida.

“Isso que esses prefeitos fizeram é uma falta de escrúpulo. Vou tentar desfazer essa negociata, pois penso na gestão vislumbrando o futuro da população e não apenas o presente”, destacou.

 
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.