Valério Vasconcelos

Valério Vasconcelos é doutor em cardiologia pela Universidade de São Paulo/Instituto do coração (USP/INCOR), pesquisador e escritor. Doutor em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médico pesquisador no Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (InCor/FMUSP).


Temperaturas mais altas elevam risco de infarto e derrame cerebral

No verão, o calor e a umidade aumentam a perda de água e sais minerais no organismo.  As altas temperaturas aumentam a espessura do sangue, fazendo subir a pressão arterial e a frequência cardíaca, elevando assim o risco de a pessoa sofrer um infarto ou de ter um derrame cerebral. 

Também por isso, o número de incidentes cardíacos costuma crescer nesta época do ano.  Pessoas que fazem parte do grupo de maior risco, como obesas, diabéticas e portadoras de algum problema cardiovascular, são as mais propensas a sofrer com as altas temperaturas. Assim, precisam ficar ainda mais atentas a potenciais problemas no coração.

No verão, também é comum que algumas pessoas se exercitem mais. E isso requer atenção. As mudanças de hábitos alimentares e o aumento da intensidade das atividades físicas, que geralmente ocorrem no verão, podem causar problemas cardíacos diversos. Diante de excessos e alterações na rotina, é importante cuidar mais um pouco da saúde do coração durante esta época do ano.

Evite excessos alimentares e abuso de bebidas alcoólicas 

Altas temperaturas, excessos alimentares e abuso de bebidas alcóolicas são fatores de risco para problemas no coração, pois o calor provoca mudanças no corpo, inclusive no sistema cardiovascular. 

Tais alterações precisam de atenção, especialmente nos idosos, em cardiopatas e portadores de outros problemas, como a doença arterial coronária (entupimento nas artérias do coração) ou ainda aqueles que já têm alguma predisposição ou fator de risco, entre eles tabagismo, sedentarismo, obesidade, colesterol alto, hipertensão e diabetes.

Muito frequente no verão, o consumo excessivo de bebida alcoólica também torna comuns as complicações cardíacas decorrentes desse hábito. Sabe-se que o consumo em excesso de álcool ocasiona alterações no ritmo cardíaco (arritmias). Inclusive, existe uma entidade chamada ‘holiday heart syndrome’, síndrome do coração pós-feriado, que consiste no aparecimento de uma arritmia cardíaca após consumo excessivo de álcool no fim de semana.

As mulheres, especialmente, são mais propensas a sofrer arritmia cardíaca decorrente do uso excessivo de bebida alcoólica. Elas têm menos água no organismo, o que faz com que o álcool fique mais concentrado. Além disso, geralmente as mulheres pesam menos e possuem níveis menores de enzimas responsáveis pelo metabolismo do álcool, como a aldeído desidrogenase (ADH) e a álcool desidrogenase (ALDH).

CUIDADOS BÁSICOS PARA APROVEITAR BEM O VERÃO

SEM COLOCAR A SAÚDE DO CORAÇÃO EM RISCO

  • evitar exposição solar;
  • beber bastante água;
  • manter uma boa alimentação e moderação na ingestão de álcool como nos períodos normais;
  • evitar lugares muito quentes ou muito frios;
  • não deixar de tomar as medicações habituais nenhum dia, mesmo em caso de uso de álcool;
  • manter a atividade física;
  • evitar consumo de comida gordurosa (alimentos desse tipo contribuem para que o fluxo sanguíneo fique concentrado no sistema digestivo, o que pode gerar insuficiência circulatória em outras regiões do corpo).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.