TCE-PB cita defunto para explicar reajuste de prefeito e vice em Cajazeiras

Otacílio Jurema

O Ministério Público de Contas do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba resolveu citar o falecido médico e político Otacílio Jurema para explicar o motivo pelo qual a Câmara Municipal de Cajazeiras aprovou um reajuste para o prefeito e o vice daquele município no fim do ano passado. A representação com pedido de cautelar foi encaminhada no último dia 5 de janeiro ao conselheiro relator das contas da gestão municipal no exercício financeiro de 2020. Mas, como alguém que morreu em 1970 poderia ser responsabilizado pela aprovação da matéria?

Aparentemente, o MPC se deixou pautar por um site de notícias que cometeu um erro ao noticiar o fato. Ao invés de mencionar a Câmara Municipal como Casa Otacílio Jurema, fez constar na matéria que o saudoso político seria o presidente do legislativo municipal no ano passado e que teria, inclusive, concedido uma entrevista sobre o aumento a uma emissora de rádio local.

Otacílio Jurema, patrono da Câmara de Cajazeiras, foi secretário de Estado da Saúde, prefeito de Cajazeiras entre 1951 a 1955, suplente de senador em 1954 e senador pelo PSP de 1955 a 1959, além de ter sido prefeito novamente de 1959 a 1962 e deputado estadual em 1963 pelo PSB.

O procurador geral do Ministério Público de Contas informou que houve um erro material e vai retificar o polo passivo para intimar o presidente da Câmara, Eriberto Maciel.

 

2 comentários

  • claudiacarvalho
    09:31

    Há vários critérios de noticiabilidade. Um deles, grosso modo, é explicado pelo que impressiona. E citar um político que morreu é inusitado. Não houve qualquer intenção de desqualificar o trabalho do MPC. Evite o termo denegrir porque tem uma carga preconceituosa. Quanto ao mérito do favorecimento político, ele já foi noticiado no fim do ano passado, tendo em vista outro critério que é o da atualidade. O MPC não checou o destinatário correto da intimação. Acontece. A culpa não é da imprensa, que tem muito o que fazer, sim.

  • FP
    09:31

    Notícia totalmente irrelevante. Parece que o foco de quem publicou é denegrir o trabalho feito pelo MP de contas e desviar o foco do que realmente importa : favorecimento financeiro de políticos em detrimento das normativas legais. Procurem o que fazer!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.