Talvez seja melhor fechar Brasil para balanço, diz Marco Aurélio

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello criticou ontem, numa sessão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a resistência do Senado em cumprir decisão do tribunal, que mandou o senador Expedito Júnior (PSDB-RO) deixar o cargo.

"O que estarrece, e aí ficamos muito preocupados com a quadra vivida, é que uma decisão mandamental do Supremo tenha o cumprimento postergado. Causa espécie que o Senado da República se recuse a cumprir uma decisão do Supremo. Não sei. Talvez a quadra seja sinalizadora de fecharmos o Brasil para balanço", afirmou.

Já o presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, disse que o Senado deve cumprir determinação do tribunal. "Todos nós sabemos da clareza da decisão do Supremo e ela deve e há de ser cabalmente cumprida."

Ele disse, porém, não acreditar que o Senado se oponha ao cumprimento do que foi decidido. "Eu me recuso a acreditar que o Senado está se recusando a cumprir a decisão do Supremo. Tenho a absoluta convicção de que a decisão será cumprida o mais rápido possível."

Durante o julgamento de Expedito Júnior, o ministro Celso de Mello também criticou o Congresso por não respeitar as decisões da Justiça Eleitoral.

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.