Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Sobre o Bessa, pra Cartaxo, (in)diretamente (III)

Na parte II destes escritos ficou evidenciado que muitos moradores do bairro do Bessa, especialmente aqueles que praticamente todos os dias usufruem da beira-mar correspondente à avenida Arthur Monteiro de Paiva para caminharem ou simplesmente contemplarem a lua ou o mar, estes moradores o que mais almejam é que a Prefeitura pessoense articule o restabelecimento dos 14 postes específicos de publicidade e que também marcam (ou marcavam) o distanciamento de 100 em 100 metros pela extensão de sua calçadinha. Mas, ficou igualmente claro que esses mesmos moradores reivindicam uma iluminação mais condicente para aquela beira-mar, que, sem dúvida, é um espaço também turístico, portanto de interesse para toda a cidade em função dos “dividendos” que proporciona.

Em relação aos postes, a palavra usada, como apelo à Prefeitura, foi “articule”. E assim está dito porque os postes que existiam já tinham a marca de patrocínio ou publicidade da Unimed e do Nord Hotel. Sem dúvida, havendo essa articulação, a questão será prontamente resolvida.

Entretanto, fora do espaço da beira-mar, moradores do Bessa apelam à Prefeitura no sentido de recomendar a conclusão da obra relativa à Eco Praça, que, segundo a placa identificativa dos respectivos serviços – e que lá obviamente está fincada – corresponde a um custo próximo dos 500 mil reais, significando, pois, que esse comprometimento orçamentário é irrelevante diante do elevado benefício proporcionado não só para a comunidade, mas, de igual modo, para o meio-ambiente. Afinal, não se trata só de uma simples praça, e, sim, da Eco Praça. E bem pertinho dessa Eco Praça, distanciado por uns 100 metros, existe um outro espaço similar, denominado Eco Bosque (uma outra praça de valorização ambiental). Os assessores do prefeito Luciano Cartaxo, eficientes como são, poderiam proporcionar uma visitação do edil pessoense àqueles dois logradouros. Com certeza, ele, ao ver a obra que se arrasta há algum tempo (a Eco Praça) e esse outro espaço de nome Eco Bosque, prontamente dirá: “Apressem a conclusão da Eco Praça e elaborem, urgentemente, para ainda nesta gestão ser inaugurada, essa outra referência de lazer e de preservação ambiental, que é o Eco Bosque!”. Também questionará: – “Não é aqui nesta esquina (um dos lados do Eco Bosque – a avenida Campos Sales com a José Simões de Araujo) para a qual existe, desde 2018, um abaixo-assinado para que se instale um semáforo como alternativa para evitar acidente como o daquele tríplice abalroamento que aqui já aconteceu?!…”.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.