Sérgio Queiroz comenta prisão de ex-ministro e diz que não se deve fazer avaliação precipitada

Ex-auxiliar do governo Bolsonaro e pré-candidato ao Senado Federal pelo PRTB, o pastor Sérgio Queiroz disse nesta quarta-feira (22), ao falar da prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, que não pode haver uma avaliação precipitada.

“Não podemos fazer uma avaliação precipitada de algo que ainda está em fase investigatório. Ainda temos uma investigação em curso e eu espero que essa investigação seja levada a efeito até as suas últimas consequências”, declarou.

Segundo Sérgio Queiroz, não se pode afirmar ainda que houve corrupção antes do final do processo.

“O que nós não podemos a essa altura é afirmar, antes de mais nada, que houve corrupção antes que este que está sendo investigado, o ex-ministro da Educação, tenha a oportunidade de apresentar sua defesa e que ao final as condutas sejam avaliadas, as responsabilidades sejam avaliadas e os autores dos delitos sejam condenados”, disse o pastor em entrevista à rádio Arapuan.

Ele, entretanto, ressaltou que todas as condutas criminosas devem ser duramente investigadas, afirmando que o “Brasil precisa entrar em um novo tempo de transparência e de combate duro a corrupção”.

Sérgio Queiroz disse ainda que não se pode fazer uma comparação entre o governo Bolsonaro e do ex-presidente Lula. Ele ressaltou que muitos agentes públicos do governo Lula foram condenados e que muitos cumpriram pena, a exemplo de Lula.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.