Secretário do PSDB diz que divergência permanece entre Cássio e Cícero

O secretário do PSDB da Paraíba, João Fernandes, traduziu, sem meias palavras, o sentimento de divisão existente no partido: segundo ele, a reunião de ontem na casa de Cássio Cunha Lima, em Lagoa Seca, não conseguiu superar o impasse reinante no ninho tucano. Segundo João, a divisão continua porque Cássio defende o apoio do partido a Ricardo Coutinho (PSB) já no primeiro turno, enquanto Cícero Lucena quer reunir o grupo em torno de sua candidatura ao Governo do Estado. Se não chegar ao segundo turno, aí sim poderia apoiar o socialista.

"Cícero quer o apoio do partido e de Cássio. Mas, o importante é que todos concordam com a necessidade de se manter a unidade das oposições e nessa definição se coloca também Ricardo Coutinho", acrescentou João.

Ele, aliás, disse ter decidido ficar no partido, depois de manter várias conversas com o PPS paraibano: "Devo ficar porque não encontrei um partido que privilegiasse as posturas ideológicas de seus filiados. O que vemos hoje é o interesse de um ou de outro em torno de legendas que tornem suas eleições mais simples. Eu não aconselho ninguém a agir dessa maneira e também não posso agir assim", resumiu.

Adesão – Outro assunto comentado pelo secretário do PSDB na entrevista concedida à Rede Paraíba Sat foi a adesão do prefeito de Cacimba de Dentro, Edmilson Gomes, ao governador José Maranhão. O tucano anunciou o apoio ontem e fez queixas em relação ao tratamento recebido pelo ex-governador Cássio Cunha Lima.

"Quando Cícero Lucena retornar de Brasília vamos nos reunir e anunciar o que fazer neste caso. O partido vai tomar as providências", adiantou.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.