Secretaria de Educação nega irregularidades em merenda

A Prefeitura Municipal de João Pessoa emitiu uma nota à imprensa em resposta à inspeção realizada ontem pela promotora de Defesa da Educação de João Pessoa, Fabiana Lobo, que encontrou alimentos estragados e vencidos no Depósito de Distribuição e Armazenamento da Merenda das Creches do Município. No texto, a administração municipal se diz preocupada com a qualidade dos alimentos ofertados aos alunos da rede municipal e acrescenta que mantém regularmente a dedetização e higienização dos espaços onde são armazenados. A Secretaria de Educação, que gerencia o Depósito de Distribuição e Armazenamento da Merenda das Creches Municipais, esclareceu que todos os produtos são semanalmente fiscalizados e analisados por uma equipe de nutricionistas. 

Assim, a Sedec explicou que a nota publicada na imprensa pela Promotoria de Defesa da Educação de João Pessoa sobre o armazenamento dos alimentos foi equivocada porque não houve notificação e também por não ter divulgado a versão da Sedec, já que o material observado pela promotora já estava reservado para o descarte, em local que não compromete os produtos a serem distribuídos, e que o quantitativo encontrado na inspeção era muito pequeno, tendo sido recolhida de alguns Centros de Referência de Educação Infantil (Creis).

Os pacotes de macarrão com carunchos foram recolhidos dos Creis após verificação das nutricionistas do município, que fazem visitas semanais a esses locais. A irregularidade, segundo a secretaria, se deu por motivos de variação climática e, mesmo estando dentro do prazo de validade, os produtos foram descartados. A depender da avaliação, os produtos serão encaminhados para consumo animal no Centro Zoonoses e no Zoológico da Bica. A PMJP enfatiza que essa é a política normal da Sedec.

Quanto aos biscoitos, considerados impróprios para consumo devido às embalagens danificadas (possivelmente por insetos e roedores), a Prefeitura declara que, como é habitual no setor, o almoxarifado havia sido dedetizado na sexta-feira passada – e é necessário esperar o prazo determinado pela empresa para a limpeza do ambiente. Como tais gêneros seriam descartados, não havia qualquer problema de estarem no local onde havia veneno.

Por fim, no que diz respeito ao fardamento de funcionários, as manchas encontradas pela promotora foram provocadas por um vazamento no teto da sala, durante as últimas chuvas. Como o material estava arrumado em prateleiras de madeira, a água se misturou ao verniz e sujou a roupa. No momento da visita, as fardas estavam separadas para serem encaminhadas para a lavanderia e, em seguida, distribuídas para os Creis.

A Prefeitura, prossegue a nota, destaca ainda o cuidado do Setor de Merendas em garantir a qualidade do produto ofertado aos alunos, tendo estabelecido como rotina o acompanhamento sistemático do material, desde a compra, entrega e manuseio, até a sua distribuição, cinco vezes ao dia.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.