Sarney sugeriu ao PMDB usar mínimo para barganhar cargo

Foi o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), quem sugeriu ao PMDB abraçar a bandeira do aumento do mínimo como forma de retirar do foco a disputa por cargos no governo de Dilma Rousseff, real interesse do partido, informa o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete.

Confira a íntegra da nota:

Pai da criança

Foi José Sarney quem sugeriu ao PMDB abraçar a bandeira do aumento do mínimo como forma de retirar do foco a disputa por cargos no governo de Dilma Rousseff, real interesse do partido. "É só falar do salário que vai virar manchete", instruiu o presidente do Senado em reunião com correligionários no apartamento de Michel Temer.

Na terça-feira, em meio ao desgaste para a formação do segundo escalão, o comando do PMDB anunciou que ainda não estava convencido "do valor do salário mínimo de R$ 540 fixado para 2011".

"Queremos discutir, queremos que a área econômica nos convença desse valor. Essa não tem que ser uma decisão partidária, mas a que representa o melhor para o país", afirmou o deputado Henrique Eduardo Alves (RN), líder do partido na Câmara.

Ontem, Henrique Eduardo voltou ao assunto ao divulgar nota na não defende o valor fixado pelo Executivo.

No texto, o peemedebista ainda negou que o partido use a discussão do mínimo para pressionar a presidente por mais cargos.

 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.