Sandra Marrocos repudia Delfim Neto por declarações sobre empregadas

Tratamento, conquistas e o avanço na luta pelos direitos trabalhistas foram as principais questões expostas e debatidas entre os presentes à sessão especial na quarta-feira, 20, alusiva ao "Dia da Trabalhadora Doméstica". A propositura foi da vereadora Sandra Marrocos (PSB), que em seu pronunciamento na tribuna destacou que a categoria desenvolve um trabalho essencial e aos poucos e com muita dedicação vem conquistando seus direitos e espaço na profissão.
 
Além de Sandra, marcaram presença na sessão os vereadores Geraldo Amorim (PDT) e Bosquinho (DEM); várias integrantes de entidades ligadas à categoria; Gilberto Paulino, diretor-executivo da CUT na Paraíba; a doméstica aposentada Dalva de Araújo, vice-presidente do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas; Nézia Gomes, secretária de Políticas Públicas para Mulheres; Terlúcia Silva, representando o Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres; Adineusa Targino, representando o Fórum de Mulheres da Paraíba; Liliane de Oliveira, representando a Marcha Mundial das Mulheres; e Maria José Holmes, representando a Secretaria da Educação do Município (Sedec).
 
“Temos que nos unir, dar as mãos para lutar pelos nossos direitos. Porque patrão não dá nada a ninguém. Vamos nos unir para que o Sindicato continue alegre e fortalecido nesta caminhada”, conclamou Dalva. O vereador Geraldo Amorim parabenizou a vereadora Sandra Marrocos pela iniciativa e destacou a importância para as famílias do trabalho doméstico. “Eu sempre defendi e continuo com esse mesmo pensamento de que os trabalhadores domésticos sejam tratados com dignidade”, ressaltou Amorim.
 
A secretária Nézia Gomes falou dos avanços da categoria ao longo dos anos e destacou, entre eventos para discutir a profissão, a conferência nacional para discutir normas sobre o trabalho doméstico na América Latina, em junho, e, no dia 30, a realização de um seminário num hotel da Capital para debater o "Trabalho Doméstico, os Cuidados, Conquistas, Avanços e Desafios". Nézia também ressaltou os avanços e a mudança de mentalidade da sociedade com relação a essa atividade. Com base numa pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT), ela disse que na América Latina de 100 mulheres, 14 são trabalhadoras domésticas e, no Brasil, 17% dos habitantes estão, hoje, inseridas nessa profissão, o que representa 98% das mulheres.
 
O vereador Bosquinho acredita que a Câmara fez uma justa homenagem ao ‘Dia das Trabalhadoras Domésticas. “Quero aqui, na tribuna desejar que as profissionais dessa atividade obtenham outras conquistas daqui por diante. Desejo a todas essas mulheres uma Semana Santa abençoada”, observou o parlamentar. “Vamos enfrentar essa luta que é árdua. E por isso é que nós temos que estar juntas”, completou Edineuza Targino.
 
O dirigente da CUT Gilberto Paulino deixou a entidade à disposição da categoria para qualquer luta e manifestação. Ele também conclamou todos os profissionais a se associarem ao sindicato.
 
Voto de repúdio – No final da sessão, a vereadora Sandra Marrocos anunciou que apresentará na sessão deliberativa da terça-feira (26) um "Voto de Repúdio", a pedido da Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB), às declarações do ex-ministro Delfim Neto, de que “não há mais empregada doméstica; quem teve esse animal teve, quem não teve não o terá mais”.
 
“Foi uma declaração muito infeliz e eu, como uma das representantes das mulheres aqui nesta Casa, tenho que tomar alguma posição”, lamentou a vereadora Sandra Marrocos.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.