Saída de oposição das comissões é ironizada por Luciano Agra

O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB), demonstrou bom humor e confiança hoje de manhã ao inaugurar o setor de órteses e próteses no Centro de Atendimento à Saúde (Cais) de Jaguaribe. Ao ser indagado sobre a atitude do bloco de oposição que se retirou das comissões da Câmara Municipal em protesto à atitude dos governistas, que acusam de atropelar a tramitação normal das matérias, Agra declarou:

– A oposição não está sabendo ser oposição. Se tem um revés, uma derrota, ela tem que continuar a luta, mas se retirar das comissões não é uma medida feliz. Todos têm suas prerrogativas legais em ordem. Se tivemos a sorte e a capacidade de atrair mais adesões ao nosso bloco, é uma questão do parlamento. Nossa bancada está no tamanho ideal. Já estou preocupado que não tenha mais oposição.

Equipamento – O setor de órteses e próteses passa a funcionar com expectativa de atender 2.400 pessoas por mês de toda a Paraíba. Após obras de reforma e adequação, o Cais vai beneficiar usuários com demanda de equipamentos como cadeiras de rodas, óculos, muletas, próteses de membros inferiores e superiores e, inclusive, mamárias, além de bolsas de colostomia, entre outros.

Luciano Agra afirmou que o serviço público de saúde de João Pessoa atende aos município vizinhos e que, no caso do atendimento em órteses e próteses, isto se estende a todo o Estado, devido a um convênio firmado em 2004.

– A Capital dispõe de serviços mais especializados em saúde e não vamos fugir desta responsabilidade. Por isto estamos ampliando as instalações desse serviço, transferindo da sede da secretaria de Saúde para o Cais, para oferecer um melhor espaço físico – disse o prefeito.

De acordo com ele, a ação integra o projeto de revitalização da saúde municipal.

– Já inauguramos o Centro de Testagem e Aconselhamento em DST/Aids no Cais e vamos continuar investindo na saúde com a inauguração de novos equipamentos de tratamento e com a contratação de profissionais para as demais unidades – frisou.

A representante da comissão do setor de órtese e prótese, Nelúzia de Souza, afirmou que a média diária de atendimento é de em torno de 120, chegando a 2.400 por mês. No ano de 2010, foram disponibilizados 871 aparelhos locomotores, 750 cadeiras de rodas, 25 mil óculos e 12.500 bolsas de colostomia.

Conforme Nelúzia de Souza, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) gerencia os recursos disponibilizados pelo Ministério da Saúde e o que ultrapassa os valores pré-fixados é custeado por cada município.

– No caso de João Pessoa, a prefeitura chega a custear mais da metade dos equipamentos, ultrapassando em mais de 100% o que é pago pelo Ministério da Saúde –  destacou a assistente social Vilma Bieda, que também integra a comissão de gestão do setor.

Desde 2004, quando a responsabilidade pelo serviço passou a ser da PMJP, a demanda por órteses e próteses aumentou mais de 300%, segundo Nelúzia de Souza. Ela explicou que os materiais são feitos sob medida para cada paciente, após indicação em laudo médico.

– As oficinas de ortopedia fabricam os equipamentos mediante contrato firmado em licitação e antes de serem entregues aos pacientes são testados neles, para que seja adequado ao uso.

Os equipamentos disponibilizados à população são: cadeiras de rodas, muletas, próteses de membros inferiores, superiores e mamárias, andadores, calçados ortopédicos, tutores, calhas, coletes, óculos e bolsas de colostomia, entre outros.

A secretária adjunta de saúde, Adriene Jacinto, destacou o compromisso da gestão municipal com o usuário dos serviços.

– O trabalho feito pelos profissionais da área tem empenho e sensibilidade para atender os beneficiários de forma humana.

Já a diretora do Cais de Jaguaribe, Anielga Almeida, afirmou que a implantação do novo setor no centro só melhora a qualidade dos serviços oferecidos na unidade. Ela destacou que o Cais oferece 22 especialidades médicas e cinco não-médicas, inclusive a de fisioterapia, que é essencial para quem utiliza órteses e próteses.

O Cais de Jaguaribe está localizado na Avenida Alberto de Brito e, para ser atendido no setor de órteses e próteses, o usuário deve portar cópia do laudo médico, RG, CPF, comprovante de residência e cartão SUS. A primeira consulta deve ser feita por meio das Unidades de Saúde da Família (USF), mas as marcações das especialidades não médicas, como fisioterapia, são realizadas no próprio Cais. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3214-7978, no setor de órteses e próteses.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.