Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Valério Vasconcelos

Valério Vasconcelos é doutor em cardiologia pela Universidade de São Paulo/Instituto do coração (USP/INCOR), pesquisador e escritor. Doutor em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médico pesquisador no Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (InCor/FMUSP).
Valerio-Vasconcelos

Saiba como tomar corretamente os remédios para pressão alta

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Doença traiçoeira e que também é chamada de “assassina silenciosa”, a pressão alta não tem cura, mas pode ser controlada com remédios ou alguma medida terapêutica não medicamentosa.

O tratamento da doença é para toda a vida e necessita ser feito da forma correta, para evitar complicações que podem até levar à morte. O paciente precisa aderir ao tratamento, para que surta o efeito esperado. A adesão ao tratamento refere-se ao grau de cumprimento das medidas terapêuticas indicadas, sejam elas medicamentosas ou não, com o objetivo de manter a pressão arterial controlada.

Na maioria das vezes, as pessoas não sentem nenhum sintoma decorrente da hipertensão arterial, mas a doença prejudica o organismo como um todo e de forma progressiva. Com o passar do tempo, o indivíduo pode sofrer um infarto, um derrame cerebral ou mesmo chegar a ter os rins paralisados. Todas essas complicações, decorrentes da hipertensão arterial, são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento e o controle da pressão alta.
Abaixo, leia algumas dicas de como tomar corretamente os remédios que ajudam a controlar a hipertensão arterial. Essas e outras informações também estão disponíveis no meu livro “O coração gosta de coisas boas”.

DICAS PARA SE LEMBRAR DE TOMAR OS REMÉDIOS

• Associar os horários de tomar os remédios às atividades diárias, como refeições (café da manhã, almoço, jantar), hora de dormir ou de acordar. Também é válido colocar a caixa de medicamento na cabeceira da cama, com um copo de água filtrada e fervida ao lado (protegido), para que a primeira coisa a ser feita ao acordar seja tomar o medicamento;

• Manter os remédios em lugares visíveis, próximos à geladeira ou à televisão, porém longe do alcance de crianças. É importante que a medicação esteja em lugar com boa temperatura e longe da luz solar;

• Evitar ficar sem os remédios, providenciando uma nova caixa antes que eles acabem. É muito comum as pessoas deixarem para fazer a compra de última hora. De preferência, deve-se também atualizar a consulta médica para que a dose e a medicação sejam sempre avaliadas. Muitas vezes, há necessidade de exames complementares para avaliar se a medicação precisa ser trocada, ajustada tanto para mais como para menos. Se a pessoa aumentou o peso ou diminuiu, por exemplo, pode haver a necessidade de ajuste da medicação;

• Ter remédios em casa e no trabalho. Caso a pessoa se esqueça de tomar os remédios em casa, poderá tomá-los no trabalho, evitando assim ficar sem medicação;

• Quando viajar, levar quantidade suficiente de remédios para o todo o período que estiver fora;

• Solicitar ajuda aos familiares para que eles ajudem a lembrar dos horários de tomar os remédios;

• Se tiver de tomar vários remédios, fazer uma lista com nome, quantidade e horários de cada um e deixá-la fixada em local visível. É muito comum colocar na geladeira. Os idosos muitas vezes tomam um mesmo medicamento mais de uma vez;

• Usar aparelhos, como telefone celular, programado para disparar o alarme nos horários de tomar os remédios;

• Por fim, não deixar de tomar medicação anti-hipertensiva, mesmo quando for a uma festa ou churrasco com intenção de beber. A medicação anti-hipertensiva protege inclusive a pessoa hipertensa, evitando as crises hipertensivas, muito comuns após ingestão de álcool e consumo de comida salgada.

Além de medicamentos, o tratamento da pressão alta consiste na adoção de hábitos e estilos de vida saudáveis, tais como reduzir a quantidade de sal da alimentação e de bebidas alcoólicas, manter o peso ideal, praticar exercícios físicos regularmente e gerenciar o estresse.

MAIS LIDAS

Menina-mulher: leitura de “Preciosidade”, de Clarice Lispector

O Homem no Mundo

adrotate banner="232"